Publicidade

Estado de Minas

Após novo vazamento em mineroduto, Anglo vai dar férias coletivas aos funcionários

O novo incidente ocorreu nesta quinta-feira à noite em Santo Antônio do Grama. O mineroduto só poderá operar novamente depois de uma inspeção que será feita ao longo de toda sua extensão


postado em 30/03/2018 17:05 / atualizado em 30/03/2018 17:50

Ver galeria . 6 Fotos O incidente aconteceu na noite de quinta-feira em Santo Antônio do Grama, na Zona da Mata. O local é próximo da primeira ocorrência, que aconteceu em 12 de março e poluiu dois rios TV Alterosa Leste
O incidente aconteceu na noite de quinta-feira em Santo Antônio do Grama, na Zona da Mata. O local é próximo da primeira ocorrência, que aconteceu em 12 de março e poluiu dois rios (foto: TV Alterosa Leste )


A Anglo American anunciou, em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira, que deve dar férias coletivas para seus funcionários em Conceição do Mato Dentro, na Região Central de Minas. A medida é tomada depois do segundo vazamento num período de menos de 20 dias em tubulação do mineroduto em Santo Antônio do Grama, na Zona da Mata. O novo incidente ocorreu nesta quinta-feira à noite e levou o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama) a interditar mais uma vez as operações da mineradora – desta vez, por pelo menos 30 dias. As causas dos problemas ainda estão sendo avaliadas.

O vazamento da polpa de minério (composta por 70% de minério e 30% de água) durou entre cinco e oito minutos, de acordo com o presidente da Anglo, Ruben Fernandes. Ele ocorreu num tubo localizado 400 metros à frente da tubulação que registrou o mesmo problema no último dia 12. Desta vez, 174 toneladas do material foram carreadas para o Córrego Santo Antônio – antes, foram 300 toneladas. Ao contrário do que ocorreu na primeira quinzena do mês, não houve desabastecimento de água à população, pois agora a captação é feita pelo Rio Salgado.

As negociações para a paralisação dos empregados serão feitas com o sindicato da categoria e deve ainda seguir os trâmites legais do Ministério do Trabalho. Em Conceição, a mineradora tem 2,5 mil funcionários, mas farão parte do acordo aqueles que estão nas operações de mina e de planta de beneficiamento de minério. Segundo Ruben Fernandes, o restante não será afetado.

Veja imagens do vazamento obtidas pela TV Alterosa Leste


O mineroduto só poderá operar novamente depois de uma inspeção que será feita ao longo de toda sua extensão – 529 quilômetros a partir de Conceição até o Porto do Açu (RJ). “Houve a troca de tubulação e dos tubos adjacentes depois do primeiro incidente. Testes mostraram que as operações podiam ser retomadas com confiança”, disse o presidente. O segundo vazamento ocorreu no mesmo dia em que a mineradora havia retomado as atividades, depois de 15 dias parada em virtude do primeiro incidente.

Ainda na noite de ontem, o Ibama enviou um ofício à Anglo sobre a interdição das operações e exigindo a apresentação, em 48 horas, de um laudo com a descrição dos danos provocados pelo vazamento e detalhamento das medidas de mitigação, controle e reparação. (Com Cristiane Silva)

(foto: TV Alterosa Leste)
(foto: TV Alterosa Leste)


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade