Publicidade

Estado de Minas

Cratera vizinha do Viaduto Santa Tereza foi fechada mas trecho segue impedido

Obras de melhorias da rede de esgoto perto de onde se abriu o buraco serão realizadas ao longo do feriadão, para a troca de tubulações antigas por material moderno e resistente


postado em 27/03/2018 19:39 / atualizado em 28/03/2018 08:32

Desde o dia 20 último via está fechada para manutenção(foto: Fred Bottrel/EM/DA Press)
Desde o dia 20 último via está fechada para manutenção (foto: Fred Bottrel/EM/DA Press)

A cratera que se abriu ao lado de uma das cabeceiras do Viaduto Santa Tereza, no Centro de Belo Horizonte, foi fechada, segundo informou nesta terça-feira a Copasa, que ficou responsável pelo reparo, já que o rompimento de uma tubulação de esgoto causou a erosão no último dia 20. Porém, a liberação do trânsito na pista segue sem previsão, uma vez que a empresa fará manutenção em sua rede em um ponto próximo.

Conforme comunicado da concessionária, a obra no buraco, no pequeno trecho da Avenida Assis Chateaubriand que passa entre o viaduto e o Parque Municipal, demandará continuidade alguns metros acima, em direção à Rua Tamoios. “Nesse trabalho, a Copasa está trocando toda a tubulação do local, que é de cerâmica, por um material mais atual e adequado (PVC), que permite conexões mais fáceis entre os dutos e tubos, facilitando a manutenção”, explicou.

A empresa acrescentou que, em função do intenso trânsito no local, essa nova intervenção deve ser realizada durante o feriado da semana santa, visando a minimizar os impactos no tráfego de veículos e pedestres. Já a BHTrans informou que o local segue interditado para os trabalhos da Copasa e devidamente sinalizado.

Sem uma previsão da retomada da normalidade do trânsito no local, os belo-horizontinos conviverão com o fechamento da via que liga as ruas dos Tamoios e da Bahia à Avenida dos Andradas, pelo menos no feriadão. No dia da abertura da cratera, foram feitas escavações por equipes da Gerência de Infraestrutura Urbana da Regional Centro-Sul, quando se constatou que o problema havia sido causado por vazamento na rede da Copasa.

No dia seguinte, os operários da concessionária tiveram que aguardar a intervenção de empresas de telefonia, já que o cabeamento de fibra ótica impedia o avanço dos trabalho de recomposição do piso. Durante o reparo, técnicos da Copasa perceberam a necessidade da substituição das manilhas em cerâmica, que têm menor resistência à movimentação de terra, o que é comum em período chuvoso.

Segundo a BHTrans, desde que surgiu um pequeno buraco no local, no início da semana passada, foi isolada a área com sinalização. De acordo com a empresa de trânsito, o melhor desvio para os motoristas que estiverem na Avenida Afonso Pena e na Rua dos Tamoios e querem acessar a Avenida dos Andradas em direção à Região Leste da capital é seguir pela Rua Espírito Santo. Na sequência, a opção é entrar à direita na Rua dos Tupinambás, até chegar à Andradas e retomar o trajeto previsto inicialmente.

No fim do ano passado, situação semelhante já havia ocorrido no mesmo local, com a abertura de um buraco. Porém, por meio de nota a Gerência de Infraestrutura Urbana da Regional Centro-Sul informou que a erosão recente, que se agravou pelo grande volume de chuva, não tem relação com o problema que havia ocorrido anteriormente.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade