Publicidade

Estado de Minas

Lixo em calçadas do Bairro Prado vira alvo de fiscalização

Deposição, em dia que não é de coleta, é no mesmo local onde carros foram arrastados pela enchente na semana passada. SLU diz que vai recolher materiais


postado em 22/03/2018 13:01 / atualizado em 22/03/2018 18:26

Sacos de lixo no cruzamento da Avenida Francisco Sá com a Rua Cássia(foto: Renato Scapolatempore/EM/DA Press)
Sacos de lixo no cruzamento da Avenida Francisco Sá com a Rua Cássia (foto: Renato Scapolatempore/EM/DA Press)
Uma semana depois de uma enchente arrastar carros pela Avenida Francisco Sá, no Prado, Região Oeste de Belo Horizonte, sacos de lixo depositados nas esquinas, que podem entupir bueiros e bocas de lobo, chamam a atenção em um dia que não é de coleta. A prefeitura da capital confirmou que a deposição é clandestina e que os locais serão fiscalizados. 

Na manhã desta quinta-feira, o Estado de Minas encontrou lixo em dois cruzamentos do bairro: na Avenida Francisco Sá com a Rua Cássia, e no cruzamento da avenida com a Rua Erê. 

De acordo com a Superintendência de Limpeza Urbana (SLU), a área tem muitos estabelecimentos comerciais, alguns que funcionam 24 horas. O órgão realiza a coleta de lixo nas segundas, quartas e sextas-feiras. 
Mais lixo depositado no cruzamento da Francisco Sá com a Rua Erê, mesmo local onde veículos foram levados pela correnteza na semana passada(foto: Renato Scapolatempore/EM/DA Press)
Mais lixo depositado no cruzamento da Francisco Sá com a Rua Erê, mesmo local onde veículos foram levados pela correnteza na semana passada (foto: Renato Scapolatempore/EM/DA Press)

Por meio de nota, a SLU confirmou que os resíduos domiciliares foram descartados em dia e horário inadequados. “As equipes de limpeza irão remover ainda hoje o lixo exposto indevidamente. A região será monitorada pela Prefeitura para que os infratores sejam identificados e autuados”, afirmou.

As pessoas que forem flagradas cometendo a infração podem ser punida conforme prevê a lei 10.534/2012. “Além de notificação para correção da irregularidade, os infratores estão sujeitos a multas que variam de R$ 185,49 (não acondicionar o resíduo corretamente ou não colocá-lo para a coleta no dia e horário fixados pela SLU) a R$ 5.564,82 (despejar o resíduo de construção civil em lotes vagos e encostas, por exemplo)”, diz a legislação.

Os moradores podem denunciar a infração por meio do telefone 156, na Central do BH Resolve, ou no Sac WEB.

Vídeos mostram correnteza na Avenida Francisco Sá: 






Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade