Publicidade

Estado de Minas

Filas retornam ao Farmácia de Todos

Atualmente, a demora para atendimento não tem sido constante, embora continue incomodando


postado em 22/03/2018 06:00 / atualizado em 22/03/2018 08:00

Pacientes chegaram a esperar até três horas por atendimento (foto: Marta Vieira/EM/DA Press)
Pacientes chegaram a esperar até três horas por atendimento (foto: Marta Vieira/EM/DA Press)

Usuários da unidade de Belo Horizonte do Programa Farmácia de Todos, do governo do estado, voltaram a conviver com longas filas para conseguir medicamentos. Na manhã de ontem, longas filas se formaram com pacientes que chegaram a ficar de duas a três horas à espera do remédio. No atendimento, funcionários afirmaram que o problema se devia à troca do sistema que gerencia o serviço.

Em novembro do ano passado, o Estado de Minas mostrou o drama de pacientes e familiares que conviviam com problemas frequentes de infraestrutura no serviço, longos prazos de espera, filas extensas formadas diante da unidade, além de dificuldades para atendimento no serviço de informação da central telefônica acessada pelo número 155.

Atualmente, a demora para atendimento não tem sido constante, embora continue incomodando. É o que indicam usuários como Ana Paula Aparecida da Silva, de 38 anos. Ela recebe medicamento todo o mês, pois faz tratamento de hemodiálise, mas diz que somente ontem encontrou fila. “Cheguei às 8h45. A fila estava enorme e chegando à rua debaixo. Mas é a primeira vez que vejo uma situação como esta”, disse. 


Cléber da Silva, de 69, também reclamou da longa espera. Ele esteve ontem no local para pegar medicamentos contra reumatismo. “Estava agendado para 10h30. Cheguei um pouco antes e já estava uma fila longa. Devia ter umas 100 pessoas na minha frente. Mas é a primeira vez que acontece comigo essa confusão”, disse.

“A fila estava lá embaixo. Disseram que o governo está mudando o sistema, por isso aconteceu isso. Cheguei às 9h30 e esperei por aproximadamente duas horas. O pessoal do atendimento não tem culpa. Sempre são atenciosos”, completou Honeylane Silva, de 48, que buscava medicamento para a irmã. 

TRIAGEM
Enquanto a fila se estendia pela avenida do Contorno, funcionários da Farmácia de Todos passavam pelos usuários para fazer uma triagem. Marilda Souza, de 31, que estava com o filho Davi, portador de paralisia cerebral, foi uma das pessoas que tiveram prioridade. “Tive toda a assistência. A fila estava longa, mas uma funcionária fez a triagem. Não fiquei nem meia hora”, contou.

O atendimento também foi elogiado por Conceição Aparecida, de 42. Segundo ela, os usuários recebem toda a assistência por funcionários e enfermeiros. Para ela, a lotação é a principal causa da demora. “Quando cheguei estava muito cheio, por causa da alta demanda. As pessoas têm que ligar antes para ver se há o medicamento. E muitos não fazem isso”, disse. “Tem enfermeiros que ficam de prontidão aqui. Eu mesmo passei mal, e logo fui atendida”, completou.

Sobre a longa fila diante da unidade, a Secretaria de Estado da Saúde informou que, “devido à necessidade de adequar os procedimentos ao novo sistema, o tempo previsto de atendimento para pacientes agendados tem aumentado”. “O aumento também ocorre em razão da elevação da disponibilidade de medicamentos oferecidos para os usuários na Farmácia de Todos. Por fim, informamos que durante os próximos dias, inclusive no fim de semana, funcionários vão adequar processos de trabalho, de forma que o fluxo seja ajustado ao novo sistema”, informou a nota enviada pela pasta.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade