Publicidade

Estado de Minas

Mineira grava assédio em voo para SP e denuncia nas redes sociais

"Fiquei muito incomodada e chorei muito. Porque todo mundo viu o que tava acontecendo e ninguém perguntou nada. Ninguém fez absolutamente nada", contou a jovem sobre homem ter se masturbado ao seu lado. Companhia apura o caso


postado em 12/03/2018 16:13 / atualizado em 12/03/2018 19:41

"Fiquei com medo, tremendo muito. Depois, tive raiva e comecei a pensar em todas as notícias de mulheres que sofrem violência sexual", disse Vitória Antunes, 21 anos, que denunciou em suas redes sociais um caso de assédio em um voo entre Belo Horizonte e São Paulo, na manhã desse domingo. Segundo a jovem, funcionários da Avianca Brasil – empresa responsável pelo avião onde o episódio aconteceu – não fizeram nada para conter e punir um homem que se masturbava do seu lado. Companhia disse que vai apurar o caso.

Vitória contou ao Estado de Minas que estava sozinha em uma fileira do avião até o momento em que um homem chegou e sentou do seu lado, após a decolagem. "Naquele momento, eu fiquei incomodada, mas deixei. Ele, no entanto, começou a ficar muito inquieto, batendo os pés, e passando a mão no pênis por cima da calça", falou a jovem, que decidiu gravar a atitude do homem para que o caso fosse solucionado, ou minimizado, pelos comissários de bordo.

Na hora em que os funcionários se aproximavam da fileira em que os dois estavam, Vitória decidiu gravar. "Quando eles estavam a três fileiras de chegarem na nossa, ele pegou o pênis com as duas mãos e deu um gemido. Perguntei se ele estava em casa, mas, ao perceber a aproximação dos comissários, ele pediu desculpas e voltou para o seu lugar de origem", disse, indignada. 

Com a chegada dos funcionários, Vitória contou o ocorrido e disse que tinha as filmagens para comprovar o ato do homem. Mas, segundo ela, os comissários disseram que não haviam visto o episódio, e sugeriram que um dos dois trocasse de lugar para que a situação fosse resolvida. "Com a oferta deles, eu disse que havia pagado por aquele lugar e que o homem estava errado, não eu. Pedi que tirassem ele de perto de mim, mas não o fizeram", afirmou. 

Fiquei muito incomodada e chorei muito. Porque todo mundo viu o que tava acontecendo e ninguém perguntou nada. Ninguém fez absolutamente nada.

Vitória Antunes, 21 anos



Com a previsão de pouso, Vitória contou que o homem entrou no banheiro para que não a encontrasse no momento em que os passageiros deixam o avião. "Quando ele saiu do banheiro achando que eu não estaria mais no avião, deu de cara comigo. Mas, virou de costas e foi conversar com os comissários, de forma amigável, como se nada tivesse acontecido", relatou. De acordo com a jovem, os dois funcionários pediram que ela ficasse calma, uma vez que a viagem já estava chegando no seu destino, e repetindo que "não tinham visto nada".

"Na hora que estava indo embora, a comissária me segurou e o piloto do avião me cumprimentou, perguntando se eu estava bem. Respondi que não expliquei o que havia acontecido", contou Vitória que mostrou o vídeo do homem se masturbando. Segundo ela, o homem sugeriu que ela procurasse a polícia, pois não tinha visto nada de errado. "Eu tenho 21 anos e sei me defender. Mas, existem meninas da minha idade, e até mais novas, que não saberiam gritar ou pedir por socorro. Se fosse uma criança, ele continuaria se masturbando, sem se sentir incomodado."

Em nota, a Avianca disse que apura o caso e que repudia esse tipo de comportamento. "A Avianca Brasil esclarece que, em relação a ocorrência no voo 6145 CNF-GRU,  está investigando internamente o ocorrido e tomará as medidas cabíveis. A companhia reforça que repudia veementemente todo tipo de comportamento inadequado de qualquer indivíduo que voe com a empresa", informou. 

*Sob supervisão da editora Liliane Corrêa

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade