Publicidade

Estado de Minas

Chegada de leão africano atrai famílias ao Zoológico de Belo Horizonte

Lolek, africano de origem, é integrante da espécie de nome científico Panthera leo e nasceu em cativeiro, no Zoológico de Dortmund, na Alemanha


postado em 04/03/2018 06:00 / atualizado em 04/03/2018 08:12

(foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press)
(foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press)

No Dia Mundial da Vida Selvagem, comemorado ontem, o Jardim Zoológico de Belo Horizonte apresentou aos visitantes sua mais nova atração, o leão Lolek, de 6 anos, em sua primeira aparição pública, paralelamente a um trabalho educativo sobre a preservação dos felinos. Já bem cedo havia famílias inteiras interessadas em conhecer Lolek – pronuncia-se Lólek, à estrangeira, ou Loléque, no jeito brasileiro –, fotografá-lo e se surpreender com o rugido sedutor de Hanna, fêmea de aproximadamente 12 anos que vive na capital desde 2012.

Por enquanto, os dois estão em refúgios separados. A aproximação vai depender do tempo, do comportamento e de outros fatores. “Não adiantar forçar a formação do casal. Estamos observando e acompanhando tudo”, explica o gerente do zoo, vinculado à Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica, biólogo Humberto Mello.

Africano de origem, integrante da espécie de nome científico Panthera leo e nascido em cativeiro, no Zoológico de Dortmund, na Alemanha, o novo habitante do zoo de BH, localizado na Região da Pampulha, ficou grande parte da manhã de sábado deitado à sombra das árvores do recinto – uma alegria para quem estava ansioso para registrar a pelagem de tom avermelhado, a juba exuberante, os olhos e as patas enormes e o porte de “rei dos animais”. Às vezes, o bicho dava uma caminhada rápida, como dono do pedaço, e retornava para o mesmo lugar, sem dar um miado. Aliás, a beleza dele despertou o comentário bem-humorado de uma funcionária que passava: “Não é um gato?”.

Batizado em homenagem ao personagem de desenho animado da Polônia, o leão chegou a BH em janeiro, três anos após a morte de Simba. Para recebê-lo, o recinto de cerca de 1,3 mil metros quadrados foi reformado. Na fase de adaptação, Lolek e Hanna seguirão em setores individuais dispostos lado a lado, mantendo apenas contatos visuais, auditivos e olfativos.

RUGIDO
O comportamento dos mais novos candidatos a par romântico do zoo chamou logo a atenção da criançada, que ficou maravilhada ao ver um leão ao vivo e em cores. Para os mais velhos, o rugido de Hanna, guardadas as proporções e gênero, lembrou a abertura dos filmes da Metro Goldwyn Mayer, com o famoso “leão da Metro”. Depois de ver a notícia sobre a chegada de Lolek no em.com.br, o casal Rodrigo Ziviani Morais, engenheiro civil, e Carla Aparecida de Resende, moradores do Bairro Saudade, na Região Leste, levou para passear o filho Arthur, de 1 ano, e os sobrinhos Luíza, de 12, e Bernardo, de 4. “Com o Arthur, é a primeira vez que estamos vindo aqui. O Bernardo queria ver o rei da floresta”, contou Carla.

Para a família Ziviani, a manhã foi uma oportunidade de lazer, educativa e uma volta ao interior. “Gosto muito de natureza, de animais. Cresci na roça, então gosto demais do verde. Sempre que podemos, vamos para um sítio perto de Conselheiro Lafaiete”, disse Carla. Perto dali, Luciana Contarini, de Cachoeiro do Itapemirim (ES), revelava que um dos seus passeios preferidos é o zoo. “Meu marido é daqui de BH, então sempre que posso venho admirar os bichos”, disse, ao lado da filha Beatriz, de 23, e do namorado da jovem, o capixaba Filipe da Silva Rodrigues, de 27. “É show este leão”, resumiu o rapaz.

Durante o tempo de visita, uma equipe da gerência do Jardim Zoológico informava sobre a conservação dos felinos, em especial dos leões, espécie em extinção, conforme ressaltou Humberto Mello. “Tudo é muito planejado para receber os animais. Nosso trabalho envolve pesquisa, tem qualidade reconhecida internacionalmente, sucesso reprodutivo, infraestrutura adequada, manejo e bem-estar para os animais. Todos esses fatores levaram o zoológico de Dortmund a fazer a doação, via sistema de cooperação.”

Diante de um cartaz com informações, a educadora Rizzia Dias Botelho falou à gerente de restaurante Letícia Nogueira, que veio de Pará de Minas, na Região Centro-Oeste, com a filha Beatriz, de 2 anos, e fez a visita com o padrinho da menina, Leandro Camargos, administrador, morador do vizinho Bairro Ouro Preto. “O leão é muito lindo”, disse Letícia.

QUARENTENA De acordo com a Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica, o felino, após a chegada ao zoo, ficou em quarentena em área reservada, sob cuidados veterinários. Em nota, os especialistas informaram que “além de ser procedimento obrigatório, o período é essencial para uma melhor acolhida e integração do animal ao seu novo ambiente, minimizando o estresse natural que ocorre durante qualquer transferência”. No período, Lolek passou por uma série de exames físicos, hemograma completo, bioquímica sanguínea, parasitológicos e de urina.

 

SERVIÇO

Jardim Zoológico de Belo Horizonte
Endereço: Avenida Otacílio Negrão de Lima, 8.000, na Pampulha
Dias de visita: De terça a domingo, das 8h às 16h (permanência até 17h)
Importante: É fundamental a apresentação de cartão de vacina contra a febre amarela original – não vale cópia. A imunização deve ter ocorrido pelo menos 10 dias antes da visita
Preço: De terça a sexta-feira, o ingresso custa
R$ 4; sábados, R$ 5; e domingos e feriados, R$ 8. Há meia entrada, conforme previsto em lei.
Veículos: de terça a sexta, R$ 10; domingo, R$ 20
Informações no site da Prefeitura de Belo Horizonte: www.pbh.gov.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade