Publicidade

Estado de Minas

Incêndio em prédio na Avenida Amazonas, em BH, deixa 13 feridos

Causas das chamas ainda são desconhecidas e há três vítimas com quadro grave. Fogo começou em uma escola de segurança


postado em 28/02/2018 12:15 / atualizado em 28/02/2018 13:23

Quarteirão em que está o prédio foi isolado e população acompanha o trabalho do Corpo de Bombeiros (foto: Edésio Ferreira/ EM/ D.A Press )
Quarteirão em que está o prédio foi isolado e população acompanha o trabalho do Corpo de Bombeiros (foto: Edésio Ferreira/ EM/ D.A Press )
Um foco de incêndio em um prédio mobilizou o Corpo de Bombeiros, deixou 13 feridos e assustou as pessoas que passavam no cruzamento das avenidas Amazonas e Afonso Pena, no Hipercentro de Belo Horizonte, no fim da manhã desta quarta-feira. 

O Corpo de Bombeiros informou que três pessoas tiveram queimaduras de 1º grau e foram socorridas para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII. Outras dez vítimas, que inalaram fumaça, foram encaminhadas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Leste. 

Ainda conforme a corporação, o foco de incêndio começou no 18º andar, o último do edifício Dantês, onde funciona uma escola de segurança. 

último andar do edifício Dantês foi o único atingido pelas chamas (foto: Edésio Ferreira/ EM/ D.A Press )
último andar do edifício Dantês foi o único atingido pelas chamas (foto: Edésio Ferreira/ EM/ D.A Press )
 

As causas das chamas podem estar relacionadas, segundo o Corpo de Bombeiros, ao uso de solda para uma reforma no andar. O trânsito foi interditado no sentido Praça da Estação/ Avenida Amazonas, mas por volta de 12h40, o Corpo de Bombeiros finalizou os trabalhos, liberou a movimentação no interior do prédio e o tráfego de veículos tambémfoi normalizado na Avenida Amazonas.  

Após a liberação dos bombeiros, entrada do público foi liberada dentro do prédio (foto: Edésio Ferreira/ EM/ D.A Press )
Após a liberação dos bombeiros, entrada do público foi liberada dentro do prédio (foto: Edésio Ferreira/ EM/ D.A Press )
Jardel Monteiro, professor da escola de 34 anos, confirmou a versão do Corpo de Bombeiros sobre as causas do incêndio. “Estava tendo um procedimento de manutenção no estande de tiro, no 18º andar, e o rapaz responsável pela obra estava usando uma solda e aí começou o incêndio”, explicou. 

A escola de segurança funciona no 17º e no 18º andar do edifício e, no momento do incêndio, 45 alunos estavam no local.“A escola é 100% regular na Polícia Federal e é a primeira vez que acontece esse fato. São dois andares e só tinham alunos em duas salas do 17º andar”, disse Jardel Monteiro. 
 
* Sob supervisão da subeditora Jociane Morais

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade