Publicidade

Estado de Minas

Mais uma cidade da Região Central decreta situação de emergência por causa da febre amarela

Ouro Branco tomou a medida depois de registrar três mortes em decorrência da doença


postado em 23/02/2018 13:55 / atualizado em 23/02/2018 14:42

As ações para bloquear o vírus da febre amarela estão sendo intensificadas em Ouro Branco, na Região Central de Minas Gerais. A cidade decretou situação de emergência nessa quinta-feira por causa do avanço da doença. Já foram confirmadas três mortes em decorrência da moléstia na cidade. A vacinação serão ampliada até 12 de março.

Devido a circulação do vírus no município, a prefeitura criou uma sala de situação para tratar tomar medidas de contenção da febre amarela. Equipes de saúde estão fazendo a busca ativa dos moradores que ainda não se vacinaram. Eles visitam casa por casa desde às 9h. Ao todo, são 14 equipes percorrendo a cidade.

De acordo com a prefeitura, as unidades de saúde também ficarão abertas para receber os moradores. A vacinação será de segunda-feira a sábado entre esta sexta-feira até 12 de março. Os postos ficarão abertos de 9h às 21h. A administração municipal alerta para que as famílias separem os cartões de vacinações e fiquem atentos para não perder a visita dos técnicos.

As ações de emergência acontecem em mais uma cidade que responde à Regional de Barbacena. Na última quarta-feira, Santa dos Montes também tomou a mesma medida. Além dos dois municípios, outros oito vizinhos também já registraram casos. Além de Ouro Branco, que registrou três óbitos, Piranga, confirmou outros dois, e Caranaíba, Itaverava, Jeceaba, e Senhora de Oliveira, com uma morte cada.

Com o decreto de emergência, a prefeitura pode adotar medidas administrativas para a contenção da doença, como aquisição de insumos e materiais e a contratação de serviços e de pessoal de forma emergencial por tempo indeterminado. Minas Gerais também já decretou emergência em 162 cidades. Em 20 de janeiro, o governo já tinha anunciado a medida para 92 municípios, das regionais de Saúde de Belo Horizonte, Itabira e Ponte Nova. Porém, dias depois publicou outro documento, que aumentou mais 68 comunidades, que fazem parte das áreas das regionais de Juiz de Fora e Barbacena foram incluídas.

Avanço por Minas


O estado passou São Paulo no número de mortes por febre amarela nesta temporada. Até essa terça-feira, informe da Secretaria de Estado da Saúde mineira confirmava 86 mortes. A letalidade também é a mais alta do Brasil, chegando a 38,7% na atual fase da doença, com monitoramento epidemiológico entre julho de 2017 e junho de 2018. Os dados mostram ainda que o estado computou 222 pacientes com infecção confirmada e investiga 32 óbitos e 473 casos.

São Paulo começou a temporada com números altos da febre amarela. O primeiro boletim da doença divulgado pela Secretaria de Saúde do estado vizinho, em 2 de janeiro, mostrava 53 casos confirmados e 16 mortes. Após essa data, outros sete levantamentos da pasta foram divulgados. O último deles, anteontem, contabilizava 238 casos e 85 mortes confirmados, indicando uma letalidade de 35,7%.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade