Publicidade

Estado de Minas

Motorista banido da Uber será investigado por tentativa de estupro

Segundo o boletim de ocorrência, ele não tinha troco e disse que a passageira poderia "pagar a corrida de outra forma" e mostrou o pênis para ela


postado em 15/02/2018 12:10 / atualizado em 15/02/2018 14:16

O motorista parceiro da Uber, banido da empresa, será investigado por tentativa de estupro depois do registro de uma denúncia informando que ele cobrou o pagamento de uma corrida em sexo, mostrou o pênis para uma passageira e ofereceu drogas.
 
O caso aconteceu na madrugada da última sexta-feira, em Contagem, na Grande BH. 

A Polícia Civil ainda não ouviu o depoimento do motorista. A vítima, uma mulher de 25 anos, também não depôs. A ocorrência é investigada na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher em Contagem. Inicialmente, o fato foi tratado como ato obsceno, mas a corporação informou que a delegada responsável pelo inquérito constatou tentativa de estupro.

“Gostosa, paga de outra forma” 

No boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar, ainda na sexta-feira, a vítima disse que estava na casa de uma amiga, no Bairro Morada Nova, e, por vota de 2h da manhã, ligou para o namorado pedindo que ele solicitasse um carro no aplicativo Uber para levá-la até o Bela Vista, em Contagem.
 
O companheiro da moça informou ao motorista, de 30 anos, que quem embarcaria seria a namorada e alertou que ele a esperaria no destino indicado.

Conforme relato da mulher, a viagem foi feita sem problemas e, quando chegaram na Rua Otília Costa Peres, em frente à casa dela, a corrida, no valor de R$17, foi paga com uma nota de R$50. 

O motorista disse não ter troco e, de início, topou encontrar com a mulher no dia seguinte para receber o valor e até pegou o número de celular dela. Entretanto, conforme o B.O., o condutor mudou de ideia, arrancou com o veículo e disse à passageira que iria tentar trocar o dinheiro, pois não poderia “ficar no prejuízo”.

Incomodado com a demora da namorada em chegar ao destino, o companheiro, que acompanhava o trajeto pelo aplicativo, mandou mensagens no whatsapp da mulher e ela informou que estava ficando sem bateria e com medo, pois o motorista estava dando voltas.

Nesse período, de acordo com a PM, a vítima conta que o motorista a chamou de “gostosa” e perguntou se ela gostava de “maconha ou balinha”. Ele ainda disse que ela poderia “pagar a corrida de outra forma” e, em seguida, já próximo da casa da mulher novamente, o motorista abriu a calça e mostrou o pênis para a passageira, que saiu do carro e correu em direção à residência. 

A vítima contou ainda à PM que, quando corria, o motorista gritou que voltaria às 6h para buscar o dinheiro e, posteriormente, enviou mensagens por whatsapp com palavrões e dizendo que se ela não pagasse o valor da corrida “estava ferrada”. 

Depois do susto, a vítima foi com o namorado a uma companhia da Polícia Militar e registrou a ocorrência. Policiais militares do pelotão ainda tentaram contato com o suspeito, que prometeu ir até a companhia para prestar esclarecimentos, mas não compareceu ao local. 

Uber bane motorista 

Depois do registro da ocorrência, a vítima notificou a Uber sobre o problema e o motorista foi banido do aplicativo. Em nota, a empresa disse que “repudia qualquer tipo de violência contra mulheres”. Ainda no texto, a Uber informou que “este tipo de comportamento não é tolerado,” disse. 

“O motorista em questão já foi banido da plataforma e a Uber está à disposição das autoridades para colaborar com as investigações, nos termos da lei,” garantiu a empresa.
 
*Sob supervisão do editor Benny Cohen

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade