Publicidade

Estado de Minas

Polícia realiza perícia em clube onde duas crianças morreram afogadas

Segundo a prefeitura, estabelecimento não tem alvará de funcionamento e só poderá retomar as atividades após regularizar a documentação


postado em 23/01/2018 15:25 / atualizado em 23/01/2018 16:32

O clube onde duas crianças morreram afogadas nesse domingo em Belo Horizonte foi interditado por não ter alvará de funcionamento e será submetido a perícia nesta terça-feira. Segundo a Polícia Civil, o dono do estabelecimento continua foragido.

 

A interdição foi confirmada pela PBH no início da noite desta segunda-feira, e nesta manhã o clube amanheceu fechado. A Secretaria Municipal de Política Urbana informou que as atividades recreativas do estabelecimento só poderão ser retomadas após a regularização do documento.

As duas primas, de 3 e 4 anos, se afogaram em uma das três piscinas do local. Segundo informações da Polícia Militar (PM), a ocorrência foi às 18h13. O pai da criança mais velha disse aos militares que na hora que deixava o clube ouviu uma gritaria próximo à piscina.

A família registrou um boletim de ocorrência, pois não havia salva-vidas no local. Segundo a lei, a presença deste profissional é obrigatória em todas as piscinas públicas da capital.

* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade