Publicidade

Estado de Minas

Mais uma cidade da Grande BH confirma caso de febre amarela

Morador de Sabará está internado na Santa Casa de Belo Horizonte. Segundo a prefeitura, o diagnóstico para febre amarela foi confirmado. Outro caso suspeito é investigado na cidade


postado em 19/01/2018 14:17 / atualizado em 19/01/2018 16:22

Confirmações de casos de febre amarela levaram a corrida aos postos de saúde para a vacinação(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Confirmações de casos de febre amarela levaram a corrida aos postos de saúde para a vacinação (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)

O vírus da febre amarela continua circulando por cidades da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Mas uma cidade entrou para a lista de pessoas infectadas. A Prefeitura de Sabará confirmou, nesta sexta-feira, que um morador foi infectado pela doença. O paciente, de 74 anos, está internado na Santa Casa da capital mineira. Outro caso suspeito está sendo investigado.

Os exames realizados pela Fundação Ezequiel Dias (Funed) deram positivo para a febre amarela. O resultado saiu na última quarta-feira, mas só foi divulgado hoje. Segundo a Prefeitura Municipal, o homem é morador do Bairro Maquiné, em Ravena. O estado de saúde dele não foi divulgado. O caso suspeito é de um outro morador, de 58 anos, que vivia no Bairro Amélia Moreira, na Região do Borba Gato. Está sendo aguardado o resultado do exame.

Devido as duas notificações, a prefeitura tomou medidas para bloquear a doença. Técnicos da Secretaria Municipal de Saúde fizeram a busca ativa por moradores não vacinados nos bairros onde os pacientes moram. Além disso, intensificou a vacinação. Na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Padre Lázaro, uma sala foi montada e funciona 24h. Na Policlínica Siderúrgica, o atendimento foi ampliado de 7h as 22h.

Outra ação foi a blitz da vacinação no Campo Newtão. Lá, aproximadamente 80 homens foram vacinados. A medida vai acontecer novamente nos fins de semana em outros campos e espaços públicos da cidade. A cidade ainda não tinha registrado nenhum caso suspeito da doença neste novo período de monitoramento 2017/2018, que teve início em julho. O município é o sétimo a registrar casos da doença na Grande BH, segundo o último boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES).

Somente na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foram 17 casos confirmados, sendo que 11 pacientes não resistiram e morreram. Os números são os oficiais da SES, não incluindo o caso de Sabará. Já foi confirmada a doença em moradores de BH, Brumadinho, Caeté, Nova Lima, Rio Acima, Itabirito e Mariana. As duas últimas estão localizadas na Região Central de Minas Gerais, mas fazem parte da Regional de Saúde Belo Horizonte.

Casos fora do balanço

Os dados oficiais da Secretaria Estadual de Saúde (SES) devem aumentar. O balanço oficial registra 22 casos e 15 mortes. Mas, prefeituras mineiras já confirmaram casos da doença que ainda não foram incluídos no levantamento da pasta. Nesta sexta-feira, Nova Lima confirmou a morte do sexto morador vítima da doença. De acordo com a assessoria de imprensa da administração municipal, a última vítima é um homem, que não teve a idade informada, e estava internado em um hospital do município. Ele não havia tomado a vacina contra febre amarela e era morador do Bairro Cascalho.

Outra morte que ainda não entrou no balanço é a do músico e presidente da Empresa Mineira de Comunicação, Flávio Henrique. Também não está na lista a morte de um morador de Barra Longa, na zona da mata. Em 11 de janeiro, a a Prefeitura informou que na cidade três pessoas foram infectadas pela doença e que duas morreram. Até então, foi confirmado um óbito no município, por meio da SES-MG.

Investigação

Mais duas mortes suspeitas de terem sido causadas por febre amarela estão sob investigação em Minas Gerais. Dois homens morreram nessa quinta-feira em Juiz de Fora, na Zona da Mata, com sintomas da doença. A Secretaria de Saúde da cidade informou que apenas uma das vítimas mora em Juiz de Fora. De acordo com a nota enviada à imprensa, o morador da cidade, que não teve a idade informada, estava internado na Santa Casa de Misericórdia.

Sobre a outra vítima, a pasta informou, apenas, que o paciente estava internado para tratamento médico em um hospital da rede particular da cidade. O município que o paciente morava, no entanto, não foi revelado, mas a suspeita é de que também seja na Zona da Mata.

Outra morte investigada é de um homem de 61 anos que morava em Viçosa, na Zona da Mata do estado, morreu na manhã de quarta-feira com suspeita de ter contraído febre amarela. O paciente estava internado no Hospital Eduardo Menezes, em Belo Horizonte desde a noite da última segunda-feira.

Nessa quinta-feira, um morador de Porte Firme, na Região da Zona da Mata, morreu no Hospital Eduardo de Menezes, em Belo Horizonte, com suspeita da doença. A informação foi confirmada pelo secretário de saúde do município, João Rodrigo de Melo. Segundo ele, ações para bloquear o vírus já foram realizadas. “Começamos a fazer a varredura e terminamos ontem (quinta-feira). Vacinamos aproximadamente 95% dos moradores. Na zona rural, fizemos a busca ativa dos moradores de casa em casa, e também imunizamos a população na área urbana. O posto está ficando aberto até 20h e temos vacina suficiente”, disse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade