Publicidade

Estado de Minas

Tumulto e quebradeira em clube; veja vídeo

Por conta de falha no sistema, equipe liberou alimentos gratuitamente aos frequentadores. No entanto, houve uma confusão e a polícia precisou ser chamada


postado em 15/01/2018 13:02 / atualizado em 15/01/2018 15:53

Superlotação e falha no sistema levaram a um grande tumulto que virou caso de polícia em um parque aquático em Caratinga, no Vale do Aço, na tarde desse domingo. Imagens de pessoas invadindo uma lanchonete e pegando alimentos se espalharam rapidamente pelas redes sociais. A confusão só terminou com a chegada da polícia. Duas pessoas foram detidas. 

“Infelizmente o clube Faisão estava com superlotação, o sistema travou, ninguém conseguia comprar nada e nem receber o troco dos cartões, os visitantes foram estressando, crianças e adultos com fome e sede, aí a confusão começou”, diz uma das mensagens que circula pelo WhatsApp, acompanhada de um vídeo. 

As imagens mostram pessoas entrando pelo balcão e tirando alimentos de uma estufa. Uma mulher ri da situação. Muitos outros frequentadores se aproximam. Ao fundo, é possível ouvir um funcionário dizendo que as atividades seriam encerradas naquele momento.  A voz também promete restituição de créditos.

Segundo o boletim de ocorrência da Polícia Militar (PM), o dono do clube contou que várias caravanas de ônibus chegaram ao local quando o estabelecimento já estava cheio. Por volta das 12h30, um problema no sistema informatizado deixou inoperantes os computadores e máquinas de cartão. Para que nenhum cliente tivesse prejuízos, a equipe liberou os alimentos e bebidas que estavam no restaurante para todos até que o problema fosse resolvido. 

No entanto, segundo a polícia, o empresário disse que as pessoas quebraram uma estufa de vidro, computadores, saquearam a comida e começaram a agredir os funcionários, que  tiveram que se esconder na enfermaria e trocar as camisas para não serem reconhecidos pela multidão. Uma mulher teve acesso ao sistema de auto-falantes e começou a incitar as pessoas contra o clube. Outros dois homens também incitavam o grupo. 

Ainda de acordo com o dono do clube, no momento em que ele tentava sair do local de carro, uma mulher desconhecida começou a ameaçá-lo caso ele deixasse o parque aquático. Mas o homem conseguiu e voltou acompanhado de policiais militares, o que cessou a confusão. Um homem de 23 anos e outra jovem, de 24, foram detidos. A mulher detida pediu para registrar um boletim de ocorrência por conta da confusão. A PM informou que eles foram levados para o Juizado Especial Criminal. 

REPERCUSSÃO O tumulto no clube repercutiu entre frequentadores do local, além da população de Caratinga e de Ipatinga, que fica na divisa com o município. “Sempre frequentei este clube e nunca aconteceu nenhuma situação dessa ou parecida, sempre foi um clube com um público diferenciado e seleto, com atendimento excelente, apesar dos altos preços das mercadorias vendidas no interior do clube, mas não havia necessidade alguma de uma atitude que não é nem um pouco nobre”, comentou uma mulher no Facebook.

“Hoje (domingo) foi a segunda vez que fui no Faisão e a primeira vez que acontece isso. O sistema falhou e é normal acontecer isso, o pessoal da organização ofereceu comida de graça e água mineral para o povo, eu comi de graça e me diverti muito, enquanto outros humanos sem caráter e baderneiros fazem isso como no vídeo. Isso é Brasil. Lamentável”, disse outro usuário da rede social. 

Uma mulher que seria funcionária do clube também falou sobre o episódio, no Twitter. “Essas pessoas de má fé que estão compartilhando esses vídeos do Faisão e morrendo de rir é porque não sabem o que realmente aconteceu e o aperto que todos nós funcionários passamos diante uma multidão revoltada, falta de compreensão é uma coisa que o ser humano precisa trabalhar!”, publicou.

Segundo o proprietário do Faisão Resort, Fabiano Pereira de Oliveira, o sistema do estabelecimento foi hackeado. "A gente teve um ataque de hackers em nosso sistema. Para recuperarmos os dados, os invasores pediam que pagássemos em moeda digital. Enquanto o sistema estava fora do ar, nós liberamos os alimentos e bebidas para que ninguém ficasse com fome", informou o dono. A propriedade conseguiu recuperar os dados e, até amanhã, o sistema será normalizado.  Fabiano destacou que o local tem capacidade para 5 mil pessoas. Mas, no momento estavam 4,2 mil pessoas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade