Publicidade

Estado de Minas

Morte por febre amarela é confirmada em Brumadinho

Homem de 51 anos estava contaminado pela doença. Um paciente, também da cidade e que está internado em um hospital no Espirito Santo, permanece sob suspeita


postado em 05/01/2018 12:25 / atualizado em 05/01/2018 12:50

A Secretaria de Estado e Saúde de Minas Gerais confirmou, nesta sexta-feira, a morte por febre amarela do morador da zona rural de Brumadinho, na Grande BH, em 31 de dezembro. 

Exames realizados pela Fundação Ezequiel Dias (Funed) confirmaram a contaminação do homem, de 51 anos, que apresentou os primeiros sintomas no dia de Natal. 
 
A Prefeitura de Brumadinho, por sua vez, ainda não confirma a morte do homem por febre amarela e aguarda uma notificação da Secretaria de Estado e Saúde e da Funed.
 
Um outro paciente, também de Brumadinho, internado no Espiríto Santo a pedido da família, permanece sob a suspeita de febre amarela. O resultado dos exames realizados com as amostras de sangue do paciente ainda não foi divulgado pela Funed. A assessoria de imprensa da prefeitura informou que o paciente teve melhora no quadro clínico.

Uma reunião na tarde desta sexta-feira com representantes das secretarias de saúde municipal e estadual vai definir os próximos passos no combate ao Aedes Aegypti, transmissor da doença. 

 
Reforço na vacinação 

 
Com a confirmação de mais uma morte em Minas Gerais por febre amarela, a Secretaria de Estado e Saúde informou que reforçará a imunização. As ações de prevenção e controle contra a doença serão deliberadas em cidades com registros de vítimas e nos municípios que fazem divisas. 
 
No pacote de ações em pauta na SES/MG, está a intensificação da vacinação, da apuração na morte dos macacos e a investigação entomológica e vigilância laboratorial nos insetos transmissores da doença. "Estão sendo realizadas ações de imunização prioritariamente nos domicílios e peridomicílios dos casos suspeitos. A ação está sendo estendida por todo o município, com intensificação vacinal casa a casa na zona rural e verificação do Cartão de Vacinação."

 

No ano passado, o país passou pelo pior surto de febre amarela desde 1980, segundo o Ministério da Saúde, impulsionado pelos casos registrados em Minas.  Foram 162 mortes e 475 pacientes infectados. 

 
Macaco morto em Juiz de Fora  

 
Em Juiz de Fora, na Zona da Mata, o Parque Museu Mariano Procópio, um dos principais pontos turísticos, foi fechado por risco de contaminação da febre amarela. A medida deve durar 30 dias. Um macaco foi encontrado morto no local na quarta-feira. Por precaução, houve a interdição até o resultado dos exames sobre a causa. O animal foi enviado a Belo Horizonte para análise.

Segundo a prefeitura, quase 90% da população já foi vacinada (453.685 doses entre 2007 e 2017). A vacina está disponível nas unidades básicas de saúde (UBSs), no Posto de Atendimento Médico (PAM) Marechal ou nos departamentos de Saúde do Idoso e o da Criança e do Adolescente, além do posto volante funcionando das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira. 
 
* Sob supervisão do editor Benny Cohen








 












Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade