Publicidade

Estado de Minas

Sacos de lixo deixados por equipe de limpeza podem ter causado inundação em BH

Caso está em apuração pela PBH. Moradores de uma rua do Caiçaras, Noroeste da capital, sofreram com alagamento. ONG que abriga cães e gatos foi uma das mais prejudicadas


postado em 31/12/2017 19:08 / atualizado em 31/12/2017 19:49

Depois do temporal, muita sujeira e carros danificados pelo alagamento da via(foto: Reprodução/Facebook)
Depois do temporal, muita sujeira e carros danificados pelo alagamento da via (foto: Reprodução/Facebook)
Alguns estragos causados pela forte de chuva do sábado em Belo Horizonte poderiam ser evitados com cuidados para que bueiros não ficassem obstruídos pelo lixo. Em um desses muitos casos, a falta de atenção para com esse risco partiu de uma equipe que realizou a limpeza de um lote. Na Rua Antônio José de Carvalho, no Caiçaras, Noroeste da capital, moradores da parte baixa sofreram com uma inundação causa pelo entupimento do ponto de escoamento por dezenas de sacos de lixo não recolhidos pelo pessoal que realizou a capina.

Um dos imóveis mais atingidos, foi uma casa alugada que no momento do temporal abrigava mais de 60 pets, 25 cães e 40 gatos. No local funcioa a ONG Ministério Arca de Noé, que além de receber animais domesticos abandonados, oferece atendimento veterinário. “Foi tudo muito rápido, pois a enxurrada que vinha da parte alta era forte. Quando desceram os sacos de lixo com o material da capina e fechou os bueiros, a água subiu rapidamente. Seis carros que estavam na rua, dois de voluntários e quatro de pessoas que trouxeram animais na clínica foram arrastados e danificados”, explicou a presidente da ONG, Paula Maia.

Segundo ela, em pouco tempo também a sede da ONG foi alagada e os cães tiveram que ser tirados dos canis, enquanto os gatos buscavam se abrigar na parte alta. As águas destruíram boa parte do estoque de rações e outros materiais para atendimento e cuidado dos pets. “Em dois anos aqui já enfrentamos chuvas até mais fortes e nunca vimos algo parecido. Não fossem os sacos fecharem os bueiros, o escoamento seria normal. Ainda não temos um balanço das perdas, mas teremos gastos elevados com a vacinação de todos os animais, já que o contato com as águas da inundação os coloca em risco de contaminação por leptospirose”, destacou.

Paula Maia pede ajuda de voluntários(foto: Reprodução/Facebook)
Paula Maia pede ajuda de voluntários (foto: Reprodução/Facebook)
A Prefeitura de Belo Horizonte informou que a limpeza do bueiro foi realizada e que não há risco de novo alagamento em caso de chuvas. E completou que as responsabilidades serão apuradas junto à Superintendência de Limpeza Urbana (SLU) e à Administração Regional Noroeste. A presidente da ONG admite a possibilidade de recorrer à Justiça para ter ressarcidos os danos materiais da instituição, que sobrevive de doações.

Devido aos estragos dos materiais para atendimento aos pets, Paula Maia diz que será necessária uma mobilização maior de voluntários e doadores para manter os cães e gatos abrigados e receber outros que forem resgatados. Segundo ela, em período de férias cresce o número de animais domésticos abandonados. Quem puder ajudar, pode liga nos telefones (31) 97314.0003, 98334.7176 ou 4102.0020. O endereço da entidade é Rua Antônio José Carvalho, 280, Caiçaras, Belo Horizonte.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade