Publicidade

Estado de Minas

Treze pessoas morrem na mesma estrada a caminho do feriado prolongado em Minas

Acidentes ocorreram na MGC-122, na região norte do estado


postado em 24/12/2017 06:00 / atualizado em 24/12/2017 16:10

(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)
(foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação)

Sábado violento no trânsito rodoviário em Minas Gerais. Ao menos 13 pessoas morreram nas estradas do estado no caminho dos condutores para o feriado prolongado do Natal, todas no Norte de Minas, em apenas dois acidentes. No mais grave deles, uma cegonheira e um ônibus bateram de frente, deixando um saldo de sete corpos carbonizados na MGC-122, em Mato Verde - a oitava morte foi confirmada na tarde deste domingo (24/12). Imagens gravadas por cinegrafistas amadores mostram o rastro de destruição no local.

Mais cedo, cinco pessoas morreram na batida de uma caminhonete em uma árvore na mesma rodovia, em Capitão Enéas, a cerca de 150 quilômetros do primeiro acidente. No outro extremo do estado, uma batida entre um ônibus e caminhão, apesar de não ter deixado nenhum morto, fechou o principal caminho entre São Paulo e Minas Gerais, deixando motoristas por mais de três horas parados na BR-381 em Campanha, no Sul de Minas, entre a madrugada e a manhã de ontem. O trânsito também contabilizou a morte de uma criança dentro de Belo Horizonte em um acidente na Região da Pampulha. Um carro bateu em uma caçamba e a menina de 1 ano e cinco meses não resistiu.

O acidente mais grave do sábado, registrado na MGC-122 em Mato Verde, no Norte de Minas, ocorreu por volta das 13h. Os detalhes da batida não foram informados, mas, segundo a Polícia Militar de Mato Verde, uma caminhonete teria feito uma ultrapassagem forçada, obrigando a cegonheira a mudar a rota e, com isso, acertar de frente um ônibus. Imagens gravadas por pessoas que passavam pelo local registraram fumaça densa saindo dos veículos e, em seguida, os dois veículos pesados completamente destruídos, além de pelo menos outros dois carros carbonizados que poderiam estar na cegonheira. Conforme a PM, os feridos foram divididos entre Porteirinha (também no Norte de Minas) e Mato Verde, sendo os mais graves para a primeira. Militares do Corpo de Bombeiros de Janaúba foram deslocados para a ocorrência e, segundo a sala de imprensa da corporação, 15 pessoas foram retiradas com vida. De acordo com testemunhas, o ônibus envolvido no acidente saiu de São Paulo em direção a Guanhambi (BA). Suspeita-se que fazia transporte clandestino.

Mais cedo, uma caminhonete bateu em uma árvore na mesma MGC-122, em Capitão Enéas, a cerca de 160 quilômetros da outra batida. Cinco pessoas da mesma família morreram. Uma testemunha contou para a Polícia Militar de Capitão Enéas, que deu apoio à ocorrência, que o motorista da caminhonete tentou fazer uma ultrapassagem e perdeu o controle da direção, atingindo o tronco de um eucalipto às margens da rodovia. Com o impacto, o veículo se partiu ao meio. Segundo o Corpo de Bombeiros, todos os ocupantes ficaram presos às ferragens. Três vítimas morreram na hora: motorista A.P.C.S.F, de 44 anos, um jovem não identificado, e a idosa J.M.C.S., de 68 anos. Outras duas pessoas foram retiradas com vida, mas acabaram morrendo logo depois. Segundo os militares, a mulher M.J.C, de 39 anos, e a menina S.C.S, de 9, estavam com ferimentos graves. A caminho da Santa Casa de Montes Claros, a mais velha morreu. A criança foi internada na unidade com traumatismo craniano e diversas fraturas nos membros inferiores, mas teve uma parada cardíaca e morreu. O veículo tinha placas de Campinas (SP) e seguia no sentido Janaúba da MGC-122.

O motorista Gilvan Antunes Martins testemunhou os dois acidentes na MGC-122. Ele seguia para Montes Claros e viu a retirada dos corpos das ferragens da Strada que se desgovernou em Capitão Enéas. Depois, foi um dos primeiros a chegar à cena da tragédia de Monte Verde. “Como estou sempre na estrada, estou acostumado com essas coisas, mas hoje fique assustado. Acho que os dois acidentes ocorreram por falta de atenção dos motoristas mesmo”, disse.

No outro lado do estado, na BR-381, uma carreta bateu na traseira de um ônibus em Campanha, no Sul de Minas, fechando completamente o caminho entre São Paulo e Minas por mais de três horas. Não houve mortos na batida, apenas vítimas com ferimentos leves, mas o acidente também foi seguido de um incêndio. Ainda na manhã de ontem, um motorista de 20 anos dirigia um caminhão-baú pela BR-040, na altura de Simão Pereira, na Zona da Mata, quando perdeu o controle em uma curva e o veículo pesado tombou sobre a pista. Parte da carga ficou derramada sobre a rodovia e ninguém se feriu.

CAPITAL Em Belo Horizonte, uma criança de um ano e cinco meses morreu na madrugada de ontem após o carro em que estava com os pais bater em uma caçamba na Avenida Professor Clóvis Salgado, na altura do bairro Santa Terezinha, na Região da Pampulha. O veículo era conduzido por um homem, de 38, que estava com a esposa, de 44, e a criança. O motorista sofreu traumatismo craniano encefálico leve e foi levado para o Hospital Risoleta Neves, em Venda Nova. Segundo a PM, na unidade ele contou que dormiu ao volante e bateu no equipamento. A criança chegou a ser levada para uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da região, mas morreu. A mãe, com várias lesões no rosto e escoriações pelo corpo, foi socorrida na UPA Pampulha. Não foi informado se o veículo tinha a cadeirinha para o transporte de crianças. Ainda segundo a polícia, o pai passou pelo teste do etilômetro, que deu negativo.

(* A primeira versão deste texto informava que 11 mortes foram confirmadas. A matéria foi atualizada, como novas informações do Corpo de Bombeiros, às 14h30 e às 16h08 de domingo, 24/12)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade