Publicidade

Estado de Minas

Polícia investiga se pastor e padrasto estupraram irmãos em ocupação de BH

Mãe procurou a polícia depois que eles contaram o que estava acontecendo. Envolvidos foram ouvidos e liberados e polícia pediu medida protetiva


postado em 18/12/2017 12:08

A Polícia Civil começou a investigar a denúncia de uma mãe de que dois filhos, uma menina de 11 anos e um adolescente de 16, eram abusados sexualmente pelo padrasto, de 42 anos, e por um pastor evangélico, de 51, na ocupação Dandara, que fica no Bairro Céu Azul, Região de Venda Nova. Os homens foram detidos nesse domingo, mas liberados. Segundo a polícia, foi pedida à Justiça uma medida protetiva para que eles não se aproximem dos irmãos. 

As vítimas revelaram a situação à mãe na tarde domingo e ela chamou a PM. Segundo a polícia, a menina disse que o padrasto a molestava desde o início do relacionamento dele com a mãe, e que ele esperava a mulher sair para trabalhar, durante a madrugada, para invadir seu quarto e praticar os abusos. Ele oferecia dinheiro em troca do silêncio dela. 

Já o menino mais velho disse à PM que o pastor também aproveitava a ausência da mãe dele para entrar na casa, quando ele estava tomando conta dos irmãos menores. À Polícia Militar, ele disse que o religioso ia ao imóvel dizendo que faria uma pregação e, em determinado momento, aproveitava para tocar o adolescente, que disse ter sido estuprado. O garoto também contou que o pastor oferecia dinheiro, doces e outros alimentos para que ele não contasse nada. O casal de irmãos disse que tudo acontecia contra a vontade deles. 

Ainda segundo a PM, o padrasto, que negou o crime, disse que chegou a ver trocas de carícias entre o adolescente e o pastor. A mãe dos adolescentes disse à polícia que nunca imaginou que isso pudesse acontecer com sua família. 

Os dois homens detidos foram levados para a Central de Flagrantes da Polícia Civil 4 (Ceflan), que fica no Barreiro e atendia o plantão de domingo. Nesta segunda-feira, a Polícia Civil informou que foi instaurado um procedimento de diligência preliminar, que marca o início das investigações. Também foi solicitada uma medida protetiva para afastar os suspeitos dos irmãos. Todos os envolvidos foram ouvidos e liberados. s


Publicidade