Publicidade

Estado de Minas

Dia Mundial sem Carro coloca em debate formas alternativas de se locomover pela cidade

Na Semana do Trânsito, a BHTrans realiza o Dia Mundial Sem Carro, em que a Rua Gonçalves Dias, entre as ruas Paraíba e Rio Grande do Norte ficará aberta para as pessoas


postado em 22/09/2017 10:51 / atualizado em 22/09/2017 12:08

(foto: Jair Amaral: EM/DA Press )
(foto: Jair Amaral: EM/DA Press )
Com o objetivo de conscientizar a população sobre o uso excessivo de veículos, o Dia Mundial sem Carro é comemorado nesta sexta-feira na capital mineira. Para chamar a atenção para a causa, a Rua Gonçalves Dias, entre as ruas Paraíba e Rio Grande do Norte (em frente à Escola de Arquitetura da UFMG), na Região Centro-Sul de Belo Horizonte ficará aberta para as pessoas.

Das 8h às 22h, o trecho está interditado para o trânsito de veículos e aberto para que as pessoas possam curtir atividades de lazer, cultura e educação. No trecho interditado será permitido apenas trânsito local. A Semana da Mobilidade BH foi organizada por diversos coletivos que discutem o assunto na capital mineira.

 Carlos Edward Campos, integrante da BH em Ciclo conta que a programação desta sexta-feira está voltada para chamar as pessoas a refletirem sobre deixar o carro na garagem. "A ideia é que tentem isso hoje para se tornar um hábito. Se não todo dia, pelo menos eventualmente. É super possível se locomover de bike por Belo Horizonte", conta.

Carlos vendeu o carro há 4 anos e, desde então, tem a bici como meio de transporte. "Não é com um dia que vamos mudar a cabeça das pessoas, é com campanhas educativas, eventos para chamar a atenção para a causa: "quem está no carro precisa entender que o ciclista também é uma pessoa e que também tem direitos".

Níncia Araújo, de 78 anos, aposentada passeava com a cachorra "googlina" e se surpreendeu com o evento. "Achei fantástico. Precisamos de mais encontros como esses para incentivar a deixar o carro em casa e participar mais da comunidade", afirma. Ela também reclama do estresse e desrespeito no trânsito: "Nós, pedestres, não temos liberdade de andar aqui. Mesmo andando na faixa, poquíssimos respeitam a prioridade", pontua.

 O evento ocorre até às 22h com rodas de conversa, divulgação de pesquisas, pedalada aberta para todos, além de happy hour e discotecagem. Confirma programação:

 #SOMOSMEAIDUZIA
Exposição coletiva de registros de ciclistas de Belo Horizonte.
Horário: todo o dia

CONTAGEM DE CICLISTAS
Ação vai divulgar o relatório final da pesquisa “Contagem de ciclistas”. Após a apresentação acontece o ciclocine (exibição de filme sobre bicicleta) e happy hour.
Horário: a partir das 18h

ENTENDENDO O PLANBICI BH

Debate aberto para discutir o processo, as diretrizes, as ações e os objetivos do planBiciBH, para maior apropriação do plano pela cidade. Horário: 19h 


#DESCOBRINDO COMO BHPEDALA Na busca pela continuidade da produção de dados sobre o uso da bicicleta e do perfil de quem pedala em Belo Horizonte, a BH em Ciclo – Associação de Ciclistas Urbanos de Belo Horizonte, lança a pesquisa Descobrindo como #BHPedala2017.
Horário: 19h

PESQUISA: POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA

Uma pesquisa sobre poluição atmosférica, ruído e trânsito vai acontecer na Rua Aberta. Os dados serão comparados posteriormente aos dias em que os carros podem transitar livremente pelo local.
Horário: ao longo do dia

Concentração: PEDALADA DO DIA MUNDIAL SEM CARRO
Pedalada aberta para todos
Horário: 18h

BICIRANGO
Horário: a partir das 19h

BICIMANAS
Horário: 16h às 19h

Discotecagem: LUIZ VALENTE
Horário: 19h às 22h

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade