Publicidade

Estado de Minas

Crimes graves seguem em queda em Minas Gerais, aponta Secretaria de Segurança Pública

Balanço aponta que 10 de 12 modalidades criminosas recuaram de janeiro a julho no estado. Roubos caíram 9,15% no período


postado em 25/08/2017 06:00 / atualizado em 25/08/2017 08:46

Operação na Região Centro-Sul de Belo Horizonte: para a Sesp, aumento do efetivo contribuiu para redução de crimes nos primeiros sete meses do ano(foto: Jair Amaral/EM/DA Press - 18/3/17)
Operação na Região Centro-Sul de Belo Horizonte: para a Sesp, aumento do efetivo contribuiu para redução de crimes nos primeiros sete meses do ano (foto: Jair Amaral/EM/DA Press - 18/3/17)
Dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) indicam que a criminalidade em Minas Gerais continua em queda. De acordo com a pasta, dez dos 12 crimes monitorados apresentaram redução de janeiro a julho deste ano em comparação com o mesmo período de 2016. Os roubos caíram 9,15% no período. Já os homicídios tiveram queda de 5,35%. Os crimes que não recuaram foram tentativa e estupro de vulnerável – a alta foi de 10,42% e 11,32%, respectivamente. Em Belo Horizonte, oito das 12 modalidades criminosas tiveram índices menores este ano em relação a 2016.

No estado, as ocorrências de roubo tiveram uma queda de 7.015 registros. No ano passado, nos primeiros sete meses, foram 76.682 assaltos, contra 69.667 no mesmo período de 2017. O crime estava em alta nos últimos anos em Minas Gerais. Em relação aos homicídios, houve de 128 registros a menos. Nos últimos sete meses, foram 2.266, contra 2.394 do período anterior. As tentativas de assassinato caíram de 2.936 para 2.506.

A maior queda percentual foi registrada na extorsão mediante sequestro. Em 2017 foram registrados 33 ocorrências, contra 62 ocorrências nos sete primeiros meses do ano passado. Também houve redução nos crimes de lesão corporal (-2,74%), sequestro e cárcere privado (-5,67%), estupro consumado
(-5,20%), tentativa de estupro
(-2,74%), e furto (-349%).

O desafio, agora, é diminuir os crimes de tentativa e estupro de vulnerável. O primeiro deles saiu de 96 ocorrências em 2016 para 106 neste ano. Já o estupro de vulnerável consumado teve alta de 159 registros, saindo de 1.405 para 1.564, alta de 11,32%.

CAPITAL Belo Horizonte também apresentou queda nos crimes violentos. Os roubos caíram 14,95% nos primeiros sete meses. Foram 23.723 registros contra 27.893 do mesmo período do ano passado. Também tiveram redução o homicídio (-14,95%), o homicídio tentado (-23,44%), o sequestro e cárcere privado consumado
(-26,67%), estupro tentado (-17,14%) e extorsão (-42,68%).

Outros crimes apresentaram alta no período. Como em todo o estado, o estupro de vulnerável teve alta de 5,68% em Belo Horizonte, saindo de 176 para 186 ocorrências. O estupro subiu de 136 registros para 143, variação de 5,15%. As tentativas de estupro de vulnerável também cresceram 20%. Houve alta de 9,43% das lesões corporais – 2.982 registros neste ano contra 2.725 em 2016.

Os dados da Sesp apontam ainda alta nas apreensões de drogas nos primeiros sete meses de 2017. Em comparação com o mesmo período do ano passado, houve um aumento de 28,4% – 5.112 ocorrências contra 3.982 registros do ano passado. Além das drogas, mais armas foram retiradas das mãos dos criminosos: 1.610 contra 1.445 do ano passado, crescimento de 11,4%.

Para a Sesp, uma das ações que resultaram no aumento do número de apreensões foi o aumento do efetivo. Neste ano, foram postos mais 2,8 mil policiais militares nas ruas e nomeados mais mil investigadores da Polícia Civil. Também foram entregues 1.817 viaturas para as duas corporações, sendo 395 veículos somente na capital mineira.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade