Publicidade

Estado de Minas

Reunião entre PM e reitoria da UFMG vai traçar estratégias para conter violência

Encontro foi marcado depois que alunos denunciaram uma série de de furtos e assaltos no câmpus Pampulha


postado em 24/08/2017 15:28 / atualizado em 24/08/2017 22:42

O encontro será para tentar encontrar soluções para violência na instituição(foto: Rodrigo Clemente/EM/D.A Press)
O encontro será para tentar encontrar soluções para violência na instituição (foto: Rodrigo Clemente/EM/D.A Press)

Estratégias para dar mais segurança aos estudantes, funcionários e frequentadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) devem ser traçadas em encontrou entre a reitoria e a Polícia Militar (PM), nesta sexta-feira. O encontro foi marcado depois que alunos denunciaram uma série de de furtos e assaltos no câmpus Pampulha. O caso de maior repercussão foi registrado em 8 de agosto, quando passageiros do ônibus interno que circula na unidade foram assaltados por três adolescentes, apreendidos pela Polícia Militar (PM) no Bairro São Luiz.

De acordo com o major Fábio Almeida, comandante da 17ª Companhia da PM, responsável pela área, a reunião será na tarde de sexta-feira. “Essas reuniões acontecem sempre. Já me reuni duas vezes neste ano com a reitoria. Agora, vamos tentar conversar para entrar em consenso para um policiamento mais específico para lá”, comentou.

A implantação de bases móveis e viaturas especializadas está entre os assuntos que devem ser tratados. “Vamos conversar sobre isso. Temos que avaliar qual será a melhor estratégia, como viaturas específicas, bases móveis, uma patrulha. Também vamos ouvir a reitoria. Eles também têm que tomar algumas providências, como a iluminação em alguns pontos, que é precária, o controle maior das entradas e aumento do efetivo da segurança privada”, afirmou o major.

A reunião foi marcada depois de novas denúncias de violência no Câmpus Pampulha. Na madrugada de quarta-feira, estudantes usaram grupos nas redes sociais para falar de um assalto a pedestres que estavam em um ponto de ônibus em frente ao Instituto de Ciências Biológicas (ICB). A postagem mostrava uma mensagem no WhatsApp falando sobre cinco homens armados envolvidos em um arrastão.

Os relatos continuaram. Desta vez, conforme os alunos, pelo menos dois carros e uma motocicleta teriam sido levados. Na noite passada, o DCE divulgou um comunicado alertando sobre o “surto de violência, assaltos e roubos” na universidade. “Hoje recebemos mais três relatos de casos gravíssimos: dois roubos de carros e um de roubo de moto dentro no câmpus. Esses três casos se somam a outras situações de roubo e violência que aconteceram nos últimos dias”, diz o texto.

 

(RG) 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade