Publicidade

Estado de Minas

Palestras de coach de BH investigado por assediar clientes são canceladas

Investigações começaram depois de várias mulheres procurarem a delegacia para denunciar que ele teria se aproveitado delas durante o período de treinamentos


postado em 23/08/2017 09:00 / atualizado em 23/08/2017 09:06

Na segunda-feira, polícia esteve na empresa e na casa do suspeito, em Belo Horizonte(foto: Alexandre Guzanshe/EM/DA Press)
Na segunda-feira, polícia esteve na empresa e na casa do suspeito, em Belo Horizonte (foto: Alexandre Guzanshe/EM/DA Press)
O caso do coach de Belo Horizonte que construiu fama em todo o Brasil com palestras motivacionais e, agora, se tornou alvo de investigação policial por suspeita de ter cometido o crime de violação sexual mediante fraude está repercutindo Brasil afora. Depois de ter a empresa e a casa devassada pela Polícia Civil anteontem à tarde, já tem companhia de treinamento que havia feito parceria com Christyano Malta cancelando palestras marcadas com ele para os próximos dias. As apurações começaram depois de várias mulheres procurarem a delegacia para denunciar que ele teria se aproveitado delas durante o período de treinamentos.

A polícia mantém o caso em sigilo e a delegada responsável, Cristiana Angelini, titular da 1ª Delegacia Sul, não dá detalhes das investigações. Informou apenas que se trata de dezenas de supostas vítimas. Na segunda-feira, foram cumpridos mandados de busca e apreensão na Casa Coaching, na Rua Cláudio Manoel, na Savassi, na Região Centro-Sul de BH, e na casa do head master coach da empresa, na Rua Dona Marianinha, na Serra, mesma região.

Christyano Malta tinha encontro marcado nos dias 9 e 10 do mês que vem em Blumenau (SC), com sua palestra “Ouse mudar-se”. O evento seria promovido pela Ask Treinamentos. O curso teve pelo menos 12 turmas somente este ano e, a preços variando entre R$ 399 (1º lote) a R$ 499 (2º e 3º), ocorreu em várias cidades, entre elas, BH, Florianópolis (SC), Brasília e também em Blumenau.

O proprietário da Ask, Claudemiro Haffenstein, disse que a parceria se deu por indicação de amigos e, em evento anterior na região, foi posto em contato com Malta. Mas, segundo ele, esses mesmos amigos o haviam alertado sobre casos de assédio qe envolveriam o coach. Ontem, a decisão foi a de cancelar a palestra. “Estamos tomando providências nesse sentido. Não achamos que seria uma situação com essa proporção. Fomos pegos não de total surpresa, porque uma pessoa do rol de amizades dele nos alertou de alguma forma e, por isso, tomamos algumas cautelas”, diz. “Como o evento já tinha sido agendado, ele ocorreria, mas, diante dos últimos fatos, não será possível”, conta.

Segundo Haffenstein, apesar do alerta, ele decidiu manter o negócio, pois não tinha evidência alguma da veracidade das acusações. “Eu não tinha o ônus da prova, não vi nada. O evento que ele fez aqui foi com toda a idoneidade. Eu participei da palestra e ele foi extremamente profissional”, relata. “Lamento o que está ocorrendo, lamento pelas pessoas que foram prejudicadas e estamos tomando providências para que o mesmo não ocorra aqui.”

Além dos mandados de busca e apreensão, fora decretadas medidas judiciais para o caso. Foi apreendido o passaporte de Christyano Malta e suspensas suas atividades profissionais por 60 dias. Durante o cumprimento das buscas, foram apreendidos celulares, notebooks, computadores, máquinas fotográficas, pendrives, cartões de memória e um cavalete da BHTrans que estava na casa do suspeito. A Polícia Civil disse que continua com as investigações e que eventuais vítimas podem procurar a delegacia para as medidas cabíveis.

Procurada, a assessoria de imprensa do coach informou que ele não se pronunciará e que aguarda receber a intimação para depor.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade