Publicidade

Estado de Minas

Universitário é estuprado ao sair para caminhada em Uberaba

Jovem de 23 anos denunciou ter sido rendido por homem armado que o arrastou até um matagal onde cometeu o crime. Estuprador ainda disse "Parabéns, você salvou uma mulher hoje"


postado em 22/08/2017 10:48 / atualizado em 22/08/2017 18:56


A polícia está à procura do homem que estuprou um jovem de 23 anos no domingo em Uberaba, no Triângulo Mineiro. O rapaz, que é estudante de ciências biológicas, usou o Facebook para desabafar sobre a brutalidade sofrida e, segundo ele, o criminoso ainda chegou a lhe “parabenizar” por ter salvado uma mulher.

Mateus Henrique da Silva disse que praticava caminhada na manhã de domingo quando foi abordado por um homem armado em uma caminhonete preta. “Em resumo, um sujeito para de carro do meu lado, aponta uma arma na minha cara e me faz escolher entre entrar no veículo ou levar um tiro ali mesmo. E não, não tinha ninguém na rua, e também não, não tinha como correr. Ele roda um tempo, entra na mata, e o ato com paus, pedras e arame farpado começa. Caso eu quisesse gritar, a arma na minha boca não deixaria”, contou o jovem na rede social.

“Mas como eu saí vivo? Segundo o cidadão, ele queria uma menina que provavelmente ia matar depois, já que encontrou só um garoto, esse ia salvar a vida dela. 'Parabéns, você salvou uma mulher hoje' disse ele depois de me amordaçar, amarrar e mandar correr descalço no asfalto quente antes que ele voltasse com outra ideia”.

O jovem conta que andou nestas condições por mais de uma hora, e que as pessoas que passaram por ele não ofereceram ajuda, talvez temendo que ele fosse um assaltante. Um motociclista percebeu a situação do rapaz e chamou a PM. Mateus ainda relata que houve despreparo dos policiais e da equipe médica. “‘'Mas você conhecia o agressor?’', 'Por que você não correu?’', 'Ele não titubeou nenhum momento pra você se aproveitar?' e 'O indivíduo alega' foram as melhores pérolas que ouvi. Como sempre a culpa é da vítima”, desabafou.

De acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar, Mateus foi encontrado no Bairro Jardim Eldorado, “sentado na beira da estrada, bastante abalado psicologicamente”. Os policiais relatam que ele estava sem camisa, tinha vários riscos pelo corpo e pedaços de galhos secos introduzidos no lóbulo de uma das orelhas. Ainda segundo o boletim de ocorrência, Mateus foi levado até um hospital da cidade, onde o estupro foi confirmado, e recebeu medicação.

“Os procedimentos médicos e jurídicos estão sendo feitos. Não, eu não tô bem. Me sinto humilhado, envergonhado, assustado. Cada lembrança é um pesadelo. Eu olho pro meu corpo agora e só penso que cada corte, cada ferimento e cada dor, vão se transformar em força, em esperança, em renascimento. E isso graças a minha família que tem sido incrível - todos eles - e aos amigos”, disse o rapaz na postagem.

O em.com.br tentou contato telefônico com a vítima nesta terça-feira, mas as ligações não foram atendidas. A reportagem também procurou a Polícia Civil e aguarda retorno sobre as investigações.

REPERCUSSÃO O relato de Mateus Henrique já teve mais de 600 compartilhamentos no Facebook. Ele recebeu diversas mensagens de apoio e indignação pelo caso. “MATEUS, não o conheço, mas estou indignada com o fato. Que toda a sua dor, se transforme em força pra superar tamanha crueldade. Você faz muito bem em expor a situação. Calar-se não mudaria nada. Obrigada pela sua coragem! Deus te proteja!”, disse uma internauta.

“Custando a chegar ao final do texto com um enorme aperto no coração, minha ficha tbm não caiu, uma situação que revolta a todos. Muita força nesse momento, espero que a justiça seja feita. Um abraço e melhoras.”, comentou um usuário da rede social.
Até a manhã desta terça, Mateus já havia recebido mais de 350 mensagens(foto: Reprodução internet/Facebook)
Até a manhã desta terça, Mateus já havia recebido mais de 350 mensagens (foto: Reprodução internet/Facebook)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade