Publicidade

Estado de Minas

Rio das Velhas entra oficialmente em estado de alerta em Nova Lima

Após Comitê da Bacia Hidrográfica anunciar medidas para poupar água no manancial, porção do curso d'água na Grande BH foi incluída no boletim do Igam que considera situação de alerta


postado em 18/08/2017 09:57

Baixo nível do Velhas em Honório Bicalho, distrito de Nova Lima(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A PRESS)
Baixo nível do Velhas em Honório Bicalho, distrito de Nova Lima (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A PRESS)
O Rio das Velhas entrou oficialmente em estado de alerta na região de Honório Bicalho, distrito de Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, onde a Copasa capta água para abastecimento da Grande BH.

Apesar do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas ter antecipado a situação, o boletim do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) sobre a escassez hídrica em Minas Gerais foi atualizado nesta quinta-feira com a inclusão do estado de alerta para o manancial na estação de Honório Bicalho.

Para considerar o estado de alerta, último estágio antes da necessidade obrigatória de restrição de uso da água, o Igam usou dados entre 10 e 16 de agosto, que mostram todas as vazões abaixo da média mínima histórica considerada para medir o tamanho da seca, de 10,25 metros cúbicos por segundo.

Segundo a Deliberação Normativa 49 de março de 2015, do Conselho Estadual dos Recursos Hídricos, sempre que a vazão de um curso d'água monitorado no estado ficar abaixo do valor médio mínimo dos últimos 10 anos (índice chamado de Q7,10) durante um período de sete dias seguidos, o manancial entra em estado de alerta.

Se esses valores reduzirem ainda mais, passando de 70% da Q7,10 e se repetirem nesse patamar por mais sete dias consecutivos, o rio entra em estado de restrição de uso. Nesse caso, será necessário reduzir, de forma obrigatória, o uso da água, de acordo com os tipos de consumo.

Na quarta-feira, o presidente do CBH/Velhas, Marcus Vinícius Polignano, anunciou quatro medidas acertadas com a Copasa, Cemig e mineradoras, entes que exploram a água do Alto Rio das Velhas, para redução prévia do uso, com o objetivo de evitar uma crise ainda maior.

Segundo Polignano, ficou acertado que a Copasa já vai diminuir sua captação para o abastecimento da Grande BH de 6,5 metros cúbicos por segundo para 5,5 m³s. Cemig e as mineradoras Vale e Anglogold também acertaram diminuições no uso da água na região.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade