Publicidade

Estado de Minas

PF faz operação contra extração clandestina de quartzito em Minas

Polícia busca provas da extração ilegal de pedras no Vale do Jequitinhonha. Marmorarias estariam adquirindo material sem nota fiscal


postado em 17/08/2017 12:20 / atualizado em 17/08/2017 12:32

(foto: Polícia Federal/Divulgação)
(foto: Polícia Federal/Divulgação)
A Polícia Federal (PF) deflagrou uma operação contra a extração clandestina e venda ilegal de quartzito, rocha nobre usada na arquitetura.

Durante a operação, denominada Philby, policiais cumprem 10 mandados de busca e apreensão em Nova Lima, na Grande BH, Diamantina, no Vale do Jequitinhonha, e Gouveia, também no Jequitinhonha.

A PF busca provas do funcionamento de um garimpo clandestino na zona rual de Gouveia. Ainda segundo a corporação, marmorarias de Nova Lima e Diamantina estariam adquirindo a pedra sem nota fiscal com atravessadores, que fariam a intermediação entre os comerciantes e os garimpeiros. Por conta disso, nesses dois locais, as buscas contam com a presença de fiscais do estado.

(foto: Polícia Federal/Divulgação)
(foto: Polícia Federal/Divulgação)
Os crimes ambientais estão previstos no art. 55 da Lei 9.605/98 (extração de recursos minerais sem autorização) e no art. 2º da Lei 8.176/91 (produzir bens ou explorar matéria-prima pertencente à União sem autorização legal ou em desacordo com obrigações impostas pelo título autorizativo) e são punidos com penas de até cinco anos de prisão.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade