Publicidade

Estado de Minas

Mães organizam 'mamaço' em apoio à mulher que denuncia constragimento em shopping

Segurança teria impedido a consumidora de amamentar o filho de quatro meses nos corredores. Estabelecimento nega acusação


postado em 12/08/2017 11:58 / atualizado em 12/08/2017 16:19

Gabrielle Faria é autora de lei que garante o direito das mulheres de amamentar os filhos no local de sua escolha(foto: Jessica Nery/Divulgação)
Gabrielle Faria é autora de lei que garante o direito das mulheres de amamentar os filhos no local de sua escolha (foto: Jessica Nery/Divulgação)
Um grupo de mães se reunirá na tarde deste sábado para um "mamaço" no pátio central do Shopping Del Rey, Região da Pampulha, em Belo Horizonte. O ato é uma resposta à denúncia de uma mulher que teria sido impedida por um segurança de amamentar seu bebê de quatro meses em um dos corredores do estabelecimento comercial. "Queremos mostrar para todas as empresas que não vamos mais permitir que mães passem por esse tipo de constrangimento", anunciou a coordenadora do Grupo Gestar, Gabrielle Faria. O encontro está marcado para as 14h.

Segundo Gabrielle, a mãe em questão, que não quer se identificar, tentou argumentar com o segurança, dizendo que sabia dos seus direitos, mas mesmo assim teve que se retirar. Além disso, a atendente do Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) teria confirmado que, pelas normas do shopping, as mulheres só podem amamentar no espaço família e que o segurança teria permissão para tomar as medidas cabíveis. "Isso vai exatamente contra à lei que criamos, que assegura às mães o direito de amamentar no local de sua escolha, ainda que tenha um espaço reservado", pontuou Gabrielle. Pela lei municipal, o estabelecimento onde a mulher for constrangida pode ser penalizado com multa de R$ 500. Já em âmbito estadual, o valor é de R$ 903.

Ainda de acordo com a coordenador do Grupo Gestar, e também integrante do movimento nacional A Hora do Mamaço, essa não é a primeira vez que mulheres são impedidas de amamentar livremente no shopping. Em um dos casos, o segurança teria segurado a mãe pelo braço e a obrigado a se dirigir para o espaço família. "Todas as vezes em que tentamos entrar em contato com o shopping, fomos ignorados", alegou.

Por meio da assessoria de imprensa, o Shopping Del Rey informou que está em andamento um processo interno de apuração, mas já adiantou que não há registro como esse no SAC. De qualquer forma, esclareceu que não existe nenhuma restrição à amamentação no interior do shopping. "Os shoppings contam vom espaço família, onde as mães encontram mais conforto e estrutura para amamentar com tranqulidade, até em respeito às mulheres que não se sentem à vontade para amamentar em público. Mas, independentemente da aprovação da lei, acreditamos que amamentação é livre, é um direito da mãe e da criança, é um ato de amor, é bonito de se ver", acrescentou a assessoria de imprensa.

O Shopping Del Rey esclarece ainda que a amamentação é livre em todas as suas dependências. "O empreendimento reitera que os colaboradores são orientados a respeito dessa diretriz por meio de  treinamentos realizados com as equipes regularmente".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade