Publicidade

Estado de Minas

Trio suspeito de assassinar caseiro de sítio na Grande BH com mais de 40 facadas é preso

Crime aconteceu em março deste ano, quando o grupo entrou na propriedade para roubar duas armas. Agressões pararam quando faca quebrou


postado em 01/08/2017 18:29 / atualizado em 01/08/2017 22:30

Polícia pediu a prisão preventiva dos dois suspeitos do crime e a internação de um adolescente de 17 anos(foto: Polícia Civil/Divulgação)
Polícia pediu a prisão preventiva dos dois suspeitos do crime e a internação de um adolescente de 17 anos (foto: Polícia Civil/Divulgação)

A Polícia Civil prendeu dois jovens e a apreendeu um menor suspeitos de assassinarem brutalmente o caseiro de um sítio na zona rural de Caeté, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O crime aconteceu em março deste ano, quando o grupo entrou na propriedade para roubar duas armas.

Ao avistarem Edson de Melo Costa, de 56 anos, o amarraram e lhe deram aproximadamente 40 golpes de faca. As investigações apontaram que as agressões pararam apenas quando o objeto quebrou. Os três acabaram detidos na última quinta-feira e apresentados na tarde desta terça-feira.

O inquérito que investigou o crime foi concluído no início de julho. Segundo a Polícia Civil, Júlio César Ferreira Martins, de 18 anos, Warlei Castro Ramos, de 21, o Lin, e um adolescente de 17 foram até o sítio, localizado na Estrada de Morro Vermelho, no Bairro Pataquinhas.

No local, eles queriam roubar duas armas. Porém, Edinho foi visto pelo grupo e acabou amarrado. “Os investigados o amarram e depois, conforme a perícia, desferiram mais de 40 golpes de faca contra ele, só cessando quando a lâmina da faca se quebrou e ficou encravada nas costas da vítima. Mataram por matar”, conta o delegado responsável pelo inquérito, Guilherme Catão. Depois da morte, os homens fugiram com uma moto e dois celulares.

Os criminosos já eram conhecidos pela polícia por cometer outros crimes na região, inclusive, pela participação em uma tentativa de assassinato no distrito de Morro Vermelho. “A partir desse fato, foi possível elucidar a morte de Edinho. O adolescente confessa, mas Júlio César e Warlei negam envolvimento”, diz o delegado.

Os três foram encontrados na última quinta-feira, depois que a Polícia Civil pediu a prisão preventiva dos dois maiores e a internação do adolescente. Julio César foi localizado em um imóvel de Nova União, mesma cidade onde o menor estava. Já Warley já estava preso por tráfico de drogas. Júlio César e Warlei foram indiciados por latrocínio – roubo seguido de morte – e corrupção de menor. Se condenados, podem pegar até 34 anos de prisão.

 

(RG) 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade