Publicidade

Estado de Minas

Padre suspeito de abusar de adolescente nega acusações, mas diz que vídeo é verdadeiro

O religioso foi ouvido na tarde desta sexta-feira pela Polícia Civil. Ele afirmou que o vídeo que supostamente mostra os abusos foi gravado sem o consentimento dele


postado em 28/07/2017 17:54 / atualizado em 28/07/2017 21:43

Vídeo mostra padre beijando adolescente(foto: Reproducao da Internet )
Vídeo mostra padre beijando adolescente (foto: Reproducao da Internet )
O padre de 65 anos investigado por abusar de uma adolescente de 14 anos em Arceburgo, na Região Sul de Minas Gerais, se apresentou à polícia na tarde desta sexta-feira. Em depoimento, o religioso negou as acusações. Porém, afirmou que o vídeo, no qual ele aparece beijando a garota, é verdadeiro e que foi gravado sem o seu consentimento. As imagens ainda estão sendo periciadas. O caso está sendo investigado como estupro de vulnerável.

O caso veio à tona na quarta-feira e chocou os moradores do município, de aproximadamente 10 mil habitantes. A polícia começou os levantamentos depois da divulgação do vídeo da garota pelas redes sociais. Além da adolescente, outros coroinhas confirmaram que sabiam da situação de abuso contra a menina e que tinham comunicado o caso aos responsáveis pela Diocese de Guaxupé, que fazia uma apuração interna.

O vídeo em que ele aparece acariciando a garota é de março. Nas imagens, a menina é vista da cintura para cima, sem blusa e os dois se beijam na boca. Foi a adolescente que teve a iniciativa de fazer a filmagem, depois de orientada por um outro coroinha, a quem ela contou o que vinha ocorrendo.

A vítima foi ouvida nessa quinta-feira e afirmou que os abusos começaram no ano passado. Disse, ainda, segundo a Polícia Civil, que os fatos ocorriam sem seu consentimento e que se sentia culpada pela situação. Familiares da garota também foram ouvidos, porém, o teor dos depoimentos não foi divulgado pela delegada responsável pelo caso.

O padre não era visto na cidade desde domingo. Porém, nesta sexta-feira, ele compareceu à delegacia acompanhado de um advogado. De acordo com a Polícia Civil, o religioso negou as acusações de abusos sexuais, porém, afirma que o vídeo é verdadeiro e que teria sido gravado em março, sem o seu consentimento, quando a adolescente já havia feito 14 anos. O vídeo que circula nas redes sociais foi encaminhado para perícia. Além disso, uma vistoria será realizada na casa paroquial, local onde o vídeo teria sido filmado. A análise será feita para detectar se a adolescente foi atacada lá.

Suspeita de mais vítimas


Nessa quinta-feira, a Polícia Civil afirmou que outras pessoas ligadas ao padre poderiam ter sofrido abuso cometido por ele. Uma delas é uma mulher, que atualmente tem 32 anos. Informações colhidas pelo corporação indicam que ela poderia ter sido vítima do religioso quando tinha 18 anos. Segundo a corporação, a mulher prestou depoimento, mas o que relatou, a princípio, não configurou crime. Mesmo assim, ela foi incluída como testemunha no inquérito que apura os abusos contra a adolescente.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade