Publicidade

Estado de Minas

Minas não tem novas notificações de febre amarela há 15 dias

Balanço divulgado nesta quarta-feira pela Secretaria de Estado de Saúde confirma 392 casos da doença e 140 mortes provocadas pela enfermidade em Minas


postado em 05/04/2017 19:24 / atualizado em 05/04/2017 22:47

Focos da doença em Minas mobilizou técnicos do Ministério da Saúde(foto: Beto Novaes/EM/D.A PRESS)
Focos da doença em Minas mobilizou técnicos do Ministério da Saúde (foto: Beto Novaes/EM/D.A PRESS)
Há 15 dias, Minas Gerais não tem registro de novo caso de febre amarela. Conforme balanço divulgado nesta quarta-feira pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), desde o dia 21 de março as notificações da doença permanecem em 1.124. Porém, em relação à semana passada, foram confirmadas mais três mortes em decorrência da febre. Agora, são 140 óbitos no estado. Outras 53 mortes estão sendo investigadas.

A SES-MG tem a confirmação de 392 pessoas infectadas pelo vírus da febre. Faltam resultados de 241 exames, tendo sido descartadas 491 suspeitas de contaminação. A maioria (85%) de pacientes com a doença é do sexo masculino.

No estado foram aplicadas 4,6 milhões de vacinas contra a febre amarela, sendo que 1,5 milhão de doses em locais de surto da doença. Com a nova determinação do Ministério da Saúde de que apenas uma dose é suficiente para a imunização, acredita-se que o estoque de 1,7 milhão de vacinas no estado deva atender às novas demandas.

Até o começo da noite, a Secretaria de Estado de Saúde informou que não foi oficialmente notificada das novas medidas proposta pelo MS. “A SES-MG trabalha com comunicados, notas informativas e técnicas oficiais. Portanto, nossa rotina permanecerá a mesma, uma vez que não recebemos nenhum instrumento com essa tratativa”, disse por meio de comunicado.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) de Belo Horizonte também afirmou que não recebeu notificação de alteração no processo de imunização. Na capital, foram vacinadas 651 mil pessoas contra a febre amarela. “Em casos em que a pessoa não tiver comprovação de que tomou a primeira dose, perdeu o cartão de vacinação, ela deverá se vacinar”, destaca a secretaria por meio de nota.

Para receber a vacina é necessário apresentar um documento de identificação e, se possível, o cartão de vacinação. Idosos acima de 60 anos que nunca foram vacinados ou sem comprovante de vacinação deverão ser avaliadas clinicamente pelo médico, sendo levado em consideração o risco da doença e o risco de eventos adversos nessa faixa etária ou decorrente de comorbidades.

Para garantir a imunidade de bebês, a vacina é aplicada a partir de 6 meses, sendo necessária a repetição da dose aos 9 meses, respeitando o intervalo mínimo de 30 dias entre as doses. Após esse período, a criança deverá receber o reforço aos 4 anos de idade.

Números da febre amarela em Minas Gerais

1.124 notificações

392 casos confirmados

140 mortes pela doença confirmadas

241 casos em investigação

53 óbitos em investigação

491 casos descartados

*Balanço divulgado pela SES-MG em 05/04/2017

 

 

 

RB

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade