Publicidade

Estado de Minas

Motorista do Uber é preso suspeito de roubos no Bairro Sagrada Família

Em um dos assaltos, o homem levou cerca de R$ 10 mil e produtos de loja. Atividade como condutor era disfarce


postado em 16/03/2017 18:24 / atualizado em 16/03/2017 21:44

A Uber era atividade secundária do suspeito(foto: Polícia Civil/Divulgação)
A Uber era atividade secundária do suspeito (foto: Polícia Civil/Divulgação)
Um motorista do Uber suspeito de roubar dois estabelecimentos comerciais no Bairro Sagrada Família foi apresentado nesta quinta-feira pela Polícia Civil, em Belo Horizonte. Segundo a corporação, Luis Gustavo Costa Gravina, de 23 anos, teria roubado ao menos duas lojas no início do ano e é investigado por possível envolvimento em outros assaltos na região.

A assessoria da polícia informou que o homem foi preso em sua casa, onde morava com os pais, em Sabará, na Grande BH. Após ouvir depoimentos dos funcionários das lojas, os agentes confirmaram que Luis Gustavo entrava nos locais armado, rendia os funcionários e levava praticamente tudo do lugar. Em uma loja de roupas, ele levou cerca de R$ 10 mil, além de produtos femininos. O prejuízo do segundo estabelecimento está sendo contabilizado. Entre os materiais roubados estão computadores e mercadorias.

Os dois assaltos confirmados pelos agentes ocorreram em janeiro e desde então o suspeito era investigado. Em imagens de câmeras de segurança de uma das lojas roubadas, vê-se que Luis chega ao local do crime acompanhado de um homem que não foi identificado, mas está sob investigação. Testemunhas da loja de roupas, porém, afirmaram em depoimento que o motorista fez a abordagem sozinho.

Ainda que acompanhado na imagens da câmara de segurança, testemunhas disseram que ele abordava as lojas sozinho(foto: Polícia Civil/Divulgação)
Ainda que acompanhado na imagens da câmara de segurança, testemunhas disseram que ele abordava as lojas sozinho (foto: Polícia Civil/Divulgação)
De acordo com as investigações, Luis é cadastrado como motorista no Uber. Contudo, as investigações mostram que a atividade era secundária e servia como disfarce. A polícia não sabe dizer se ele permanece cadastrado e com qual frequência prestava serviços de motorista. Procurado pelo em.com.br, o Uber informou que Luis era motorista e já foi suspenso da empresa.

 

(RG) 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade