Publicidade

Estado de Minas

Tratador flagrado agredindo cavalo em exposição em BH é demitido

O proprietário do animal foi ouvido nesta terça-feira na Divisão Especializada de Proteção ao Meio Ambiente e passou os dados do agressor, que viajou para a Bahia


postado em 19/07/2016 16:52 / atualizado em 19/07/2016 21:51


O tratador flagrado chicoteando um cavalo no Parque de Exposições da Gameleira, Região Oeste de Belo Horizonte, foi identificado e demitido pelo dono do animal. O proprietário foi ouvido nesta terça-feira na Divisão Especializada de Proteção ao Meio Ambiente, e passou os dados do agressor, que viajou para a Bahia. O homem vai responder por maus-tratos de animais e pode pegar de seis meses a um ano de detenção, além de pagar multa.

As imagens foram flagradas durante a 35ª Exposição Nacional do Mangalarga Marchador, que acontece até sábado, e postadas nas redes sociais. O vídeo mostra o tratador chicoteando o animal nas pernas e nas costas. O cavalo tenta se desvencilhar, mas não consegue porque está preso por uma corda. O vídeo foi publicado no domingo em um grupo criadores e admiradores da raça no Facebook. “Como pode acontecer isso em plena exposição nacional? Um evento grande e bonito como esse não pode ter isso não, hein. Em pleno ápice de campanha contra maus-tratos aos animais, sob o sol do meio-dia”, comenta o autor da postagem.

Nesta terça-feira, equipes da Divisão Especializada de Proteção ao Meio Ambiente foram até o Parque de Exposições da Gameleira e  identificaram o dono do cavalo. Ele foi levado para a delegacia, onde prestou depoimento. “Disse que tomou conhecimento do caso por meio das redes sociais e, tão logo viu o vídeo, demitiu verbalmente o homem e pagou todas as despesas para ele se deslocar para a Bahia”, afirmou a delegada Cristiane Ferreira Lopes.

O proprietário informou que o tratador trabalhava para ele na Bahia. “Ele passou todos os dados do agressor. Vamos fazer um termo circunstanciado de ocorrência (TCO) e encaminhar para o Juizado Especial. O homem vai responder por maus-tratos e possivelmente será intimado pela Justiça na Bahia para participar da audiência”, explicou a delegada.

Segundo ela, o modo com que o modo usado pelo tratador não é uma dinâmica usada no adestramento. Testemunhas contaram à polícia que o homem levou um coice do animal e revidou com as chicotadas.

RB

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade