Publicidade

Estado de Minas

Passeio ciclístico no zoológico incentiva o uso das bicicletas em BH

Os ciclistas estão reunidos na Praça São Francisco de Assis, em frente à Igrejinha da Pampulha, e depois vão fazer um percurso pela orla da lagoa


postado em 25/06/2016 08:29 / atualizado em 25/06/2016 19:57

Ver galeria . 8 Fotos Edesio Ferreira/EM/D.A.Press
(foto: Edesio Ferreira/EM/D.A.Press )

A Pampulha recebe hoje mais uma etapa da campanha “BH tem espaço para todos. #respeiteabicicleta que visa incentivar o uso das magrelas nas ruas da capital mineira. Os ciclistas estão reunidos na Praça São Francisco de Assis, em frente à Igrejinha da Pampulha, de onde vão sair para um percurso pelos 18 quilômetros da orla da Lagoa da Pampulha. A novidade será o passeio por dentro do zoológico, que autorizou a partir de hoje a circulação de bikes no local.

O evento, promovido pela BHTrans e o Grupo de Trabalho Pedala BH, com apoio de ciclistas, conta com uma blitz educativa para conscientizar moradores, ciclistas e motoristas. De acordo educador do Pedala BH, André Luiz Guilherme, a ação tem o objetivo de mostrar para motoristas, motociclistas, pedestres e ciclistas que há espaço para todos no trânsito. “Queremos conscientizar a população sobre o uso da bicicleta como meio de transporte, porque ela traz um impacto muito positivo para mobilidade urbana”, afirma André, lembrando que a bike é um veículo não poluente, que promove hábitos saudáveis, além de economia nos deslocamentos.

Sobre o comportamento dos vários atores no trânsito, o educador diz que ainda existe uma relação tensa em ruas e avenidas da capital. “Ainda existe muito desrespeito. Por isso estamos investindo nesse tipo de ação, tendo em vista que a cultura da bicicleta está sendo implantada na cidade e investimentos em infraestrutura estão sendo feitos”, disse André.

Mesmo usando a bicicleta somente para o lazer, o auxiliar administrativo Wemerson Alves, de 39 anos, sente os efeitos dessa 'concorrência' no trânsito. “A gente enfrenta muita dificuldade quando está de bicicleta, como 'fechadas' de carros, desrespeito à ciclovia e à sinalização para as bikes. Quem não pedala, não entende isso”, afirmou o ciclista que passou pelo local da ação #respeiteabicicleta. Ele elogiou a iniciativa da BHTrans como mais uma aposta para aliviar a tensão que pessoas que pedalam enfrentam diariamente em BH quando estão de bicicleta. “São ações que deveriam ocorrer o tempo todo, não só por parte do poder público, mas também promovidas pela sociedade”, disse.

Wemerson afirma que já consegue ver um avanço no uso da bicicleta na capital mineira, mas tem críticas à infraestrutura que vem sendo implantada. “As ciclovias são estreitas, precisam ainda ser interligadas e expandidas para mais lugares da cidade”, disse. Ele ressaltou ainda que o próprio ciclista precisa de uma mudança de comportamento. “Muitas vezes, ele mesmo deixa a desejar, quando passa pela calçada, anda na contramão ou não respeita a sinalização de trânsito”, conclui.

O trajeto vai terminar com uma visita ao Jardim Zoológico. O local passou a permitir o uso de bicicletas em seu interior. Foram instalados paraciclos para estacionar as bikes, com serviço gratuito. Será cobrada a entrada com mesmo valor de um pedestre.

A ação #respeiteabicicleta foi criada depois que uma pesquisa mostrou que a capital mineira liderou o ranking entre os 10 municípios em que os pedalistas se sentem mais ameaçados pelo trânsito. Em BH, 37,8% dos entrevistados disseram que esse é o principal problema enfrentado pelos ciclistas. A média nacional foi de 22,7%.

O estudo, elaborado em 2015 e que ouviu 5.012 pessoas nas 10 cidades, faz parte do projeto Parceria Nacional pela Mobilidade por Bicicletas, uma iniciativa da Transporte Ativo, com suporte técnico do Observatório das Metrópoles e do Laboratório de Mobilidade Sustentável da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade