Publicidade

Estado de Minas

Agentes socioeducativos continuam em greve pelo menos até quinta

Depois de caminhada até a Cidade Administrativa, categoria conseguiu reunião na quarta-feira com a Secretaria de Estado de Planejamento


postado em 16/05/2016 17:27 / atualizado em 16/05/2016 21:01

Agentes socioeducativos, técnicos administrativos e demais servidores do sistema socioeducativo continuam em greve pelo menos até quinta-feira, quando participam de audiência pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Amanhã, eles têm reunião com a bancada do governo no Legislativo para discutir o Projeto de Lei 3.503/2016, que altera a forma como o sistema funciona atualmente. Mais cedo, os servidores fizeram protesto e caminharam até a Cidade Administrativa.

Como resultado, conseguiram uma reunião com a Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) na quarta de manhã. “A manifestação teve como objetivo mostrar o movimento. Queremos abrir as negociações e mudar o projeto de lei”, afirma o diretor financeiro do Sindicato dos Servidores Públicos do Sistema Socioeducativo de Minas Gerais (Sindsisemg), Rômulo Assis.

A principal reivindicação da categoria é a permanência do sistema socioeducativo na Secretaria de Estado de Defesa Social (SEDS-MG). Os agentes repudiam a proposta do governo estadual de transferi-lo para a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), que faria a administração das medidas sociais, e terceirizar o serviço para a Fundação Caio Martins (Fucam).

De acordo com o sindicato, 30% dos funcionários seguem trabalhando no período de greve, mas há adesão de outros funcionários, como os técnicos administrativos, que reivindicam acordo sobre reposições salariais feitos em 2015 e que ainda não foi cumprido. (RB)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade