Publicidade

Estado de Minas

Acusado de estuprar menores, ex-prefeito de Taiobeiras pode pegar mais de 30 anos de prisão

Joel Cruz Santos era procurado desde outubro do ano passado e foi encontrado no Pará. Investigações mostraram que as próprias mães levavam as filhas para que ele praticasse os abusos, e recebiam de R$ 20 a R$ 200


postado em 04/04/2016 11:33 / atualizado em 04/04/2016 21:15

Advogado de Joel Cruz Santos diz que o cliente é inocente e vítima de perseguição política(foto: Luiz Ribeiro/EM/DA Press)
Advogado de Joel Cruz Santos diz que o cliente é inocente e vítima de perseguição política (foto: Luiz Ribeiro/EM/DA Press)
O ex-prefeito de Taiobeiras, Joel Cruz Santos, de 76 anos, vai responder pelos crimes de estupro de vulnerável e exploração sexual de crianças e adolescentes, podendo ser condenado a mais de 30 anos de prisão. Ele foi preso na semana passada em uma de suas fazendas, no estado do Pará, e apresentado pela Polícia Civil mineira nesta segunda-feira.

Segundo o delegado Alessandro Lopes, seis vítimas foram identificadas, mas a investigação prossegue no sentido de localizar outras. As próprias mães levavam as filhas para os atos sexuais com Joel que, segundo as investigações, pagava de R$ 20 a 200 pelas práticas.

O advogado do ex-prefeito, Heberth Alcântara, alega que ele é inocente e que tudo não passa de perseguição política, “o que será provado nos autos”. Joel Cruz Santos será encaminhado ao Presídio Regional de Montes Claros.  

Foragido desde outubro de 2015, quando teve a prisão preventiva decretada pelo juiz da comarca da cidade, Marcelo Bruno Duarte, Joel foi preso em uma das suas fazendas, no município de Curionópolis, no Pará, na quinta-feira. A prisão foi anunciada oficialmente no domingo.

O ex-prefeito responde inquérito por crimes contra criança e adolescentes há mais de 10 anos. Segundo investigações por parte da promotoria pública, uma mãe, identificada com as iniciais R.P.C.O, teria levado as filhas, menores de idade, para atos sexuais com Joel. Duante a investigação, o Ministério Público conseguiu que se decretasse a prisão preventiva do réu.

O acusado, que também é empresário, dono de empresas de cerâmica e fazendas em Taiboeiras – cidade onde foi chefe do Executivo por três mandatos – fugiu para o Pará. A prisão dele aconteceu após investigações em parceria entre a polícia de Minas e a da cidade de Parauapebas. Ele foi preso pelo delegado Gabriel Costa, de Parauapebas.

O inquérito foi aberto a partir de denúncias feitas junto ao Conselho Tutelar de Crianças e Adolescentes de Taiobeiras. Não é a primeira vez que o Joel tem problemas com a Justiça. Nos anos 2000, ele chegou a ser preso acusado do mesmo crime, mas respondeu inquérito e foi liberado. Depois disso, adquiriu propriedades no Pará e foi para aquele estado.

As investigações dão conta de que o ex-prefeito também é suspeito de um atentado contra o conselheiro tutelar Ronaldo Saturnino, que foi alvejado a tiros em uma estrada rural, há cerca de oito anos. Na época, houve a suspeita de que o mandante do atentado teria sido o ex-prefeito, mas as investigações não conseguiram provar nada contra ele.

CAMPANHA Após a fuga de Joel para o Pará, em 2015, a organização não governamental, Menina Dança fez campanha de divulgação para tentar localizá-lo e prendê-lo, pedindo a pessoas informações sobre o paradeiro dele. Um cantor canadense de música country chegou a oferecer R$ 50 mil para quem o achasse.  (Com Luciane Evans)


Publicidade