Publicidade

Estado de Minas

Em segundo sobrevoo, secretário de Meio Ambiente diz que não avistou lama em Abrolhos

A constatação ocorreu um dia depois de uma mancha ter sido vista no mar, em posição paralela à costa; testes em amostras de água coletadas vão poder confirmar ou não se rejeitos chegaram ao balneário, no Sul da Bahia


postado em 08/01/2016 17:08 / atualizado em 08/01/2016 17:23

Depois de sobrevoar o mar no litoral da Bahia, na região do Parque Nacional de Abrolhos, uma equipe formada por representantes do governo baiano e de prefeituras do Extremo Sul do estado não detectou hoje nenhum tipo de sedimento visível que se assemelhe à lama que vazou da Barragem de Fundão, em Mariana, e chegou litoral capixaba, vindo pelo Rio Doce.

A observação veio um dia depois de o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) ter detectado uma mancha paralela à costa, com possibilidade de ser formada pelos sedimentos de minério. “Temos quase certeza de que essa lama vem da barragem”, havia dito a presidente do Instituto, Marilene Ramos, na quinta-feira. 

O sobrevoo de hoje foi feito entre o município de Mucuri e o distrito de Trancoso, pertencente a Porto Seguro. De acordo com o secretário de Meio Ambiente de Caravelas, Fábio Negrão, que esteve nas duas ocasiões, a mancha identificada na quinta-feira não tinha características de maré ou de dragagem, que podem ser resultado de movimentações na costa. “A mancha mão ia na direção da praia. Estava correndo paralelamente ao continente”, disse”.

De acordo com o secretário, equipes do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), ligado ao Ministério do Meio Ambiente, fizeram hoje coletas de amostras da água para análise em laboratório. “Somente após os testes poderemos comprovar se a lama da barragem avançou para Abrolhos. Mas há indícios de que isso possa ter ocorrido”, disse. O secretário afirmou, no entanto, que o aspecto visual da água em Abrolhos é bom e que não há motivos para suspender a visitação ao balneário e nem às prais do Sul do estado.


Publicidade