Publicidade

Estado de Minas

Agência vai autorizar Copasa a cobrar sobretaxa na Grande BH

Agência Reguladora dos Serviços de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário de Minas Gerais (Arsae/MG) confirma que recebeu pedido da Copasa e que vai definir critérios nos próximos dias


postado em 24/04/2015 20:42

Moradores de Belo Horizonte e de outras 15 cidades da região metropolitana que consumem mais água do que no ano passado começam a se preparar para uma conta mais alta em breve. Segundo o diretor-geral da Agência Reguladora dos Serviços de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário de Minas Gerais (Arsae/MG), Antonio Caram Filho, o órgão já avalia pedido oficial da Copasa para adoção de sobretarifa e vai autorizá-la. O modelo, segundo Caram, será apresentado provavelmente na semana entre 4 e 8 de maio, sendo submetido a consulta pública. A publicação final, autorizando a Copasa a aplicar o chamado mecanismo de contingência tarifária, deve ocorrer na segunda quinzena do mês que vem, informou.

Um provável percentual, valores e critérios são de responsabilidade da agência e serão anunciados em breve. Segundo a Arsae, o pedido oficial chegou na quinta-feira. O diretor já dá como certa a sobretaxa, lembrando que o momento exige redução no consumo. “Vamos ter sobretarifa, porque a agência vai autorizar. Muito provavelmente na semana de 4 de maio vamos submeter a proposta concreta a uma consulta pública. Por volta da segunda quinzena teremos condição de anunciar o modelo fechado. Tudo será feito de forma bem transparente”, acrescenta Caram.

A cobrança extra nas contas de quem consumir mais chegou a ser anunciada, inclusive, pelo governador, em 3 de março, quando Fernando Pimentel (PT) participou do lançamento do Pacto de Minas pelas Águas, celebrado em parceria com a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg). “É um instrumento importante, que vai incentivar o consumidor a se manter dentro da média ou abaixo dela. Se gastar acima da média, nós queremos sobretaxar. Se não mudarmos o hábito de consumo para economizar água, se não aumentar a captação, ou seja, se não chover, e for mantida a capacidade atual de reservação, nós vamos ter que racionar daqui a três ou quatro meses”, disse o governador, há quase 60 dias.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade