Publicidade

Estado de Minas

Prefeitura de Betim faz ação prévia para interdição da Várzea das Flores

O fechamento do manancial a banhistas durante o carnaval foi sugerido pela Copasa com a intenção de preservar a represa de poluição e porque o reservatório está com apenas 30% da capacidade


postado em 13/02/2015 10:10 / atualizado em 13/02/2015 10:22

A Prefeitura de Betim, na Grande BH, faz uma ação prévia nesta sexta-feira no entorno da lagoa Várzea das Flores, que ficará interditada durante o carnaval por causa dos problemas de abastecimento na região metropolitana. O fechamento do manancial a banhistas foi sugerido pela Copasa, com a intenção de preservar a represa de poluição e porque o reservatório está com apenas 30% da capacidade.

Agentes da Defesa Civil, Guarda Municipal e Secretaria do Meio Ambiente de Betim fazem uma varredura no entorno da represa para mapear os pontos de interdição. O prefeito Carlaile Pedrosa acompanha a operação.

Não há banhistas nesta manhã, mas os pescadores que foram encontrados na lagoa já receberam as primeiras orientações das equipes sobre a interdição que começará a valer no sábado. A prefeitura está conscientizando a população para os motivos do fechamento da lagoa.

A ação de hoje é um balizamento para as estratégias de orientação ao público e proibição de entrada durante o feriado. A equipe que participa da operação vai se reunir ainda hoje para avaliar resultados da varredura e definir como será feito o trabalho na represa.

A Várzea das Flores recebe cerca de 10 mil pessoas durante a folia e a Copasa teme que, além da poluição da água, o risco de afogamentos aumente. A represa é um dos mananciais que abastecem a região metropolitana e, assim como outros reservatórios, enfrenta baixa vazão neste início de ano – resultado do período de seca prolongada.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade