Publicidade

Estado de Minas

Vazão da represa de Três Marias pode diminuir para 100 metros cúbicos por segundo

A decisão foi tomada durante reunião realizada na terça-feira na sede da Agência Nacional de Águas (ANA), em Brasília, para tratar da seca do Rio São Francisco


postado em 11/02/2015 16:15 / atualizado em 11/02/2015 16:58

Imagens aéreas mostram a represa Três Marias no final de janeiro(foto: Manoel Marques/ImprensaMG)
Imagens aéreas mostram a represa Três Marias no final de janeiro (foto: Manoel Marques/ImprensaMG)

A vazão da represa de Três Marias, uma das mais importantes usinas hidrelétricas de Minas Gerais, deve ser diminuída pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) por causa da crise hídrica que vive o Estado e que atinge o Rio São Francisco. Hoje, a barragem tem vazão de 120 metros cúbicos por segundo e passará para cem metros cúbicos por segundo, podendo chegar até 80 metros cúbicos. A decisão foi tomada durante reunião realizada na terça-feira na sede da Agência Nacional de Águas (ANA), em Brasília, para tratar da seca do Velho Chico.

Para se ter uma ideia da diminuição da vazão de Três Marias, no início de 2014, ainda na temporada chuvosa 2013/2014, era de 500 metros cúbicos por segundo (m3/s). Esse volume foi sendo reduzido ao longo dos meses e chegou a 140m3/s em outubro. A medida é justificada pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) por causa do baixo nível da represa. No fim de janeiro, o reservatório estava com a capacidade de 10%. A chuva que atingiu Minas nos últimos dias, aumentou o nível para 12,87%. Mesmo assim, a medida ainda é vista como importante no momento. Conforme a ONS, caso não haja a diminuição, o volume útil já teria chegado ao volume morto.

Desde o ano passado a represa apresenta diminuição em seu nível. Segundo a ONS, em dezembro apresentou redução de 51% em comparação ao mesmo período de 2013. Em janeiro, a queda foi ainda maior e chegou a 52% se comparado com o mesmo mês de 2014.

A mesma medida também vai ser tomada no Rio São Francisco. A vazão do Velho Chico será mantida em 1,1 mil metros cúbicos por segundo até o final de fevereiro em Sobradinho, na Bahia. Caso o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama) haja necessário, a vazão pode cair para mil metros cúbicos por segundo em março. A decisão passaria ainda pela Agência Nacional de Águas.

De acordo com o gerente-executivo do ONS, Saulo José, a redução de vazões ao longo do último ano permitiu um ganho de 24% do nível do Velho Chico. Ainda segundo ele, as térmicas vão continuar em operação para permitir o armazenamento de água.

Participaram do encontro representantes do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), Ministério Público Federal (MPF), Ibama e ONS.

Baixo nível do reservatório deixa exposto uma longa área de terra(foto: Manoel Marques/ImprensaMG)
Baixo nível do reservatório deixa exposto uma longa área de terra (foto: Manoel Marques/ImprensaMG)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade