Publicidade

Estado de Minas

Prefeitura de Teófilo Otoni decreta estado de emergência após enchente

Segundo a prefeita da cidade, chuva da noite de quarta-feira ultrapassou o volume esperado. Ao longo desta quinta-feira, a prefeitura irá retornar aos bairros afetados buscando as famílias que se recusam a sair das áreas de risco


postado em 29/11/2012 12:17 / atualizado em 05/02/2018 16:35

Enchente tomou as ruas de vários bairros da cidade durante a noite(foto: João Pedro Sousa Andrade)
Enchente tomou as ruas de vários bairros da cidade durante a noite (foto: João Pedro Sousa Andrade)


A prefeita de Teófilo Otoni, Maria José Hauesein Freire, decretou estado de emergência nesta quinta-feira após o forte temporal que causou uma enchente e desabamentos na cidade o Vale do Mucuri. Há famílias desabrigadas e duas idosas ficaram feridas após serem soterradas.

De acordo com a prefeita, a previsão do tempo indicava uma precipitação de 46 milímetros para a quarta-feira, mas choveram 116 mílimetros em duas horas e meia. Mesmo com o desassoreamento do Rio de Todos os Santos, que corta a cidade, o volume de água foi tão grande que uma das pontes ficou submersa.

Assim como nesta manhã, na tarde de ontem, antes do temporal, a prefeitura havia se reunido com as polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros, Defesa Civil e outros órgãos para discutir as medidas. Assim, à noite os serviços urbanos já estavam preparados. Nesta manhã, 10 frentes de trabalho estão nas ruas da cidade para retirar a lama e o entulho acumulados após os alagamentos. Máquinas e caminhões da prefeitura e de empresários também auxiliam no trabalho. Também foi providenciada a aquisição de colchões, lona, roupas e alimentos para os desabrigados, que ainda não foram contabilizados. As pessoas que não buscaram as casas de parentes, estão sendo encaminhadas à Praça de Esportes e ao Centro de Valorização da Vida (CEVIDA).

Ao longo desta quinta-feira, a prefeitura irá retornar aos bairros afetados buscando as famílias que se recusam a sair das áreas de risco. Amanhã, é aguardada a chegada de representantes da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais (Comdec) e uma equipe de saúde. Eles vão sobrevoar as áreas afetadas para verificarem os estragos. Nos próximos dias, será feito um trabalho de prevenção de doenças. O Centro da cidade foi a área mais danificada. O decreto de estado de emergência será encaminhado à Defesa Civil estadual ainda hoje para análise.

Ocupação irregular

Para a prefeita, a ocupação irregular de encostas e morros na cidade contribuiu para os alagamentos. Segundo ela, pessoas que adquirem terrenos nessas áreas fazem escavações, despejam a terra nas rua ou canalizam a água da chuva de um modo que prejudica outros terrenos próximos.

“Quando temos a notícia de que tem alguém cavando um morro e jogando terra até na rua nós multamos, mas eles fazem (as obras) normalmente nos finais de semana. Elas acontecem, sobretudo, nos feriados prolongados, ou de sexta para sábado e domingo porque a prefeitura não trabalhando e a fiscalização não acompanha nesses dias”, explica Maria José Hauesein Freire. Dessa forma, ela pede que os vizinhos denunciem essas obras irregulares à prefeitura.

Ainda de acordo com a prefeita, moradores de municípios próximos a Teófilo Otoni podem encaminhar doações às famílias desabrigadas para a Polícia Militar, Bombeiros e a prefeitura da cidade.

 

Estragos

Segundo o Corpo de Bombeiros, a ponte de acesso ao Bairro Manoel Pimenta ameaça cair, deixando os moradores ilhados. O abastecimento de água precisou ser interrompido nos bairros Lourival Soares da Costa, Corredor Gazzinelli e parte do Manuel Pimenta. Por causa dos alagamentos na Escola Estadual Moreira Caldas. Também foram interditadas a Escola Municipal Maria Ramos e o atendimento da creche e da escola do Centro Solidário Municipal da Vila São João. Há previsão de mais um temporal para o início da tarde, o que deixa o órgão em alerta.

Duas idosas da mesma família que foram soterradas após a queda de um barranco que atingiu a casa delas durante a noite no Bairro Jardim Floresta. As vítimas foram resgatadas pelos bombeiros. Anália Soares dos Santos, de 95 anos, foi socorrida em estado grave para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) municipal. Maria Odete da Silva Santos, de 73, teve ferimentos mais leves e também foi socorrida para o mesmo hospital.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade