Publicidade

Estado de Minas

Conheça o Banco de Leite da Maternidade Odete Valadares e saiba como doar

De janeiro a agosto, a instituição, que é referência no país, coletou 2.456 litros de leite doados por 2.429 mulheres


postado em 09/10/2012 12:14 / atualizado em 09/10/2012 12:18

Para os bebês prematuros ou não, a ingestão do leite materno é essencial no desenvolvimento(foto: Maternidade Odete Valadares)
Para os bebês prematuros ou não, a ingestão do leite materno é essencial no desenvolvimento (foto: Maternidade Odete Valadares)
Criado há 26 anos, o BLH da Maternidade Odete Valadares é o centro formador dos profissionais que atuam nos demais bancos de leite estaduais. Para ele, convergiram mais de duas centenas de mulheres em busca de ajuda para amamentarem seus filhos. Apenas nos primeiros oito meses deste ano, o banco de leite da maternidade coletou 2.456 litros de leite doados por 2.429 mulheres. "O BLH adquire um papel crucial, não somente por prover o recém-nascido de suas necessidades nutricionais (por meio da distribuição de leite), mas também por disseminar a cultura da amamentação como um direito de toda criança", ressalta a coordenadora do BLH, Maria Hercília de Castro Barbosa.

Instituídos no ano 2000 pela Organização Mundial de Saúde (OMS), os “Oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio” têm entre suas metas a redução da mortalidade infantil em dois terços até 2015. Para a consecução deste objetivo, o aleitamento materno exerce um papel crucial, uma vez que as crianças amamentadas com leite humano estão menos sujeitas a óbito e doenças como otite média, doença celíaca, doença de Crohn, diabetes e câncer.

É importante frisar que os Bancos de Leite não têm o objetivo de substituir o aleitamento materno, mas sim incentivá-lo, uma vez que somente com a conscientização das mulheres quanto à importância do aleitamento, é possível conseguir o leite excedente produzido pelas mães. Existe um consenso em torno da ideia de que os Bancos de Leite e os Hospitais Amigos da Criança, em consonância com os programas do Ministério da Saúde e das sociedades pediátricas, são responsáveis pelo aumento dos índices de aleitamento materno a partir do ano 2000.

Como doar

As mulheres que desejam doar não podem ser fumantes, consumidoras de bebida alcoólica ou fazerem uso de medicamentos que contra indiquem a amamentação. Também é necessário que todos os exames de pré-natal sejam negativos. Antes da doação, a mama deve ser lavada com água. Para secar, pode ser utilizado um pano limpo ou gaze. O primeiro jato de leite deve ser desprezado, de modo a permitir a limpeza dos canais do mamilo e, somente após, dar início à coleta.

Todo leite doado passa por rigorosos exames para evitar contaminação. Depois de pasteurizado (processo realizado pela Maternidade Odete Valadares), o leite pode ser armazenado por até seis meses. Por determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), são aplicados os mesmos procedimentos exigidos para a doação de sangue. O Banco de Leite Humano também realiza a coleta domiciliar. Os frascos são recolhidos nas casas das doadoras, uma vez por semana, mas elas também poderão procurar diretamente o banco de leite ou posto de coleta, caso seja do seu interesse.

Para mais informações, as mães que desejam fazer a doação devem entrar em contato com o Banco de Leite Humano da Maternidade Odete Valadares, através do telefone (31) 3239-6008, de segunda a sexta-feira, de 8h30 às 17h30.

(Com Agência Minas)


Publicidade