Publicidade

Estado de Minas

Governo libera R$ 322 milhões para reparo de áreas atingidas pelas chuvas em BH

Verba faz parte do total de R$ 1,1 bilhão repassado pelo Ministério das Cidades para a capital mineira e três cidades da região serrana do Rio de Janeiro.


postado em 03/09/2012 09:13 / atualizado em 03/09/2012 09:25

O Ministério das Cidades anunciou a liberação de aproximadamente R$ 1,1 bilhão do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para Belo Horizonte e três cidades da região serrana do Rio de Janeiro – Nova Friburgo, Teresópolis e Petrópolis. Os recursos serão aplicados na reconstrução de áreas destruídas em decorrência da chuva, enchentes e desmoronamentos ocorridos no começo deste ano.

Apenas para Belo Horizonte serão repassados R$ 322 milhões. Os demais R$ 690,4 milhões serão transferidos para os três municípios fluminenses, de acordo com a Portaria n° 442, assinada pelo ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, e publicada na edição desta segunda-feira do Diário Oficial da União, na Seção 1, páginas 128 e 129.

No começo deste ano, Minas Gerais e o Rio de Janeiro sofreram com a temporada de chuva que causou enchentes, desmoronamentos e destruição em várias cidades dos dois estados. Os municípios de Belo Horizonte, Nova Friburgo, Teresópolis e Petrópolis estão entre os que mais sofreram as consequências.

Em janeiro, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal anunciaram uma série de medidas emergenciais para atender às cidades atingidas pelas enchentes no estado de Minas Gerais. Ambas as instituições abriram contas para arrecadar doações para vítimas das enchentes no Rio e em Minas.

Na ocasião, o Banco do Brasil anunciou também a suspensão do envio de títulos para cartório e a dispensa dos encargos sobre faturas de cartões de crédito pagas com atraso. Unidades móveis foram encaminhadas às regiões atingidas para o atendimento aos seus clientes e aos beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Previsão do tempo

Belo Horizonte está há quase 100 dias sem chuva. A previsão para todo o estado é de que o tempo permanece seco, com baixa umidade relativa do ar, com índices próximos de 20%, devido a atuação de uma passa de ar seco sobre grande parte do país. O transporte de umi-dade de origem oceânica favorece variação de nebulosidade na faixa Leste do estado.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade