Publicidade

Estado de Minas

Obras da Alça Viária do Vetor Sul são suspensas por tempo indeterminado

A paralisação das obras foi pedida pela Secretaria de Meio Ambiente que alegou problemas com as normas previstas no licenciamento ambiental


postado em 19/04/2012 14:18 / atualizado em 19/04/2012 15:03

(foto: Arte EM)
(foto: Arte EM)
 

As obras para a construção da Alça Viária do Vetor Sul de Belo Horizonte foram paralisadas nesta quinta-feira. A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (Semad) suspendeu os trabalhos sob alegação de que as normas previstas no licenciamento ambiental não estariam sendo respeitadas.

A construção da alça é a alternativa mais viável para desafogar o trânsito no Bairro Belvedere. Ela vai fazer a ligação entre a MG-030, em Nova Lima, na Grande BH, e a BR-356, no sentido da capital mineira. O motorista que sai dessas regiões em direção a BH passará pelo pontilhão abaixo da estrada de ferro, fará a curva para pegar a descida e, em vez de seguir pelo Bairro Belvedere, passará pela trincheira que ligará a MG diretamente à BR.

Com um aporte de R$ 7 milhões, a obra compreende serviços de alargamento com três pistas de rolamento, pavimentação e execução de obras de arte especiais – trincheira e um viaduto, no sentido Nova Lima/BH. As intervenções começaram em abril deste ano.

Na última segunda-feira, técnicos da Semad e a Polícia Militar de Meio Ambiente estiveram no local onde são feitas as obras e identificaram intervenções na Estação Ecológica Estadual Cercadinho, que constitui uma unidade de conservação de proteção integral. Também ficou constatado que as obras tiveram início sem o licenciamento ambiental, que foi pedido pelo Departamento Nacional de Infraestrutura em Transporte (Dnit), em 22 de março, e se encontra em fase de análise do Núcleo de Regularização Ambiental da Semad. Devido às irregularidades, foi aplicada uma multa ao Dnit e à construtora responsável pelas obras.

De acordo com a Semad, as obras só serão viabilizadas na Estação ecológica Cercadinho, após a liberação da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, a conclusão do licenciamento ambiental e a negociação fundiária com os proprietários das áreas envolvidas.


Publicidade