Publicidade

Estado de Minas

Polícia prende 13 pessoas suspeitas matar rivais do tráfico na Região Norte de BH

O grupo foi preso em uma operação que envolveu cerca de 150 policiais para o cumprimento de mandados de prisão


postado em 18/04/2012 12:54 / atualizado em 18/04/2012 13:23

(foto: Juarez Rodrigues/EM DA Press)
(foto: Juarez Rodrigues/EM DA Press)

A Polícia Civil prendeu 13 pessoas suspeitas de cometer homicídios em disputas por pontos de tráfico de drogas na Região Norte de Belo Horizonte. Na Vila Mariquinha, no Bairro Juliana, foram presas 11 pessoas, sendo duas mulheres. No Bairro Tupi, dois irmãos foram detidos, um deles é um adolescente de 17 anos.

O grupo foi preso em uma operação que envolveu cerca de 150 policiais para o cumprimento de mandados de prisão expedidos pela Justiça. Os criminosos eram investigados desde 2011, quando um onda de violência tomou conta da região. Segundo a polícia, a motivação para os crimes são acerto de contas e a guerra do tráfico. Ele são suspeitos de pelo menos 10 mortes.

Os irmãos do Bairro Tupi, Aloísio Henrique Santos Ferando e o menor, agiam junto com um comparsa que conseguiu fugir. Os líderes da quadrilha na Vila Mariquinha eram Poliana da Conceição Aladias e o marido dela, Luiz Cláudio de Jesus, conhecido como “Tirru”. Os dois comandavam os esquemas criminosos e contavam com a ajuda de outros suspeitos que tinham função de soldados, contadores e distribuidores de drogas.

Durante a operação a polícia apreendeu drogas, munição, uma pistola e um Fiat Strada usado para distribuir drogas no Bairro Juliana.

Mortes

O grupo do Bairro Juliana escolhia os rivais que deveriam morrer. Levavam essa pessoa para se despedir de um parente muito próximo, escolhido pela própria vítima. Depois da despedida a executavam. Para despistar a polícia, matavam os rivais fora do bairro, em locais de Vespasiano e Santa Luzia, na região metropolitana.


Publicidade