Publicidade

Estado de Minas

Imagem de Santo Expedito depredada volta ao pedestal e será restaurada


postado em 25/03/2011 07:17 / atualizado em 25/03/2011 07:20

Peça de dois metros foi fixada com cimento para aguardar reforma. Ataque revoltou devotos como Francisco Moreira(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press.)
Peça de dois metros foi fixada com cimento para aguardar reforma. Ataque revoltou devotos como Francisco Moreira (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press.)
Recolocada ontem em seu pedestal de cimento na Avenida Cristiano Machado, no Bairro Heliópolis, Região Norte de BH, a imagem de Santo Expedito deve começar a ser recuperada no dia 10, com o objetivo de estar novinha em folha para as comemorações do dia dedicado ao padroeiro. Um restaurador de Três Corações, no Sul de Minas, vai refazer o braço direito da imagem de quase dois metros de altura e uma tonelada, que foi atirada no chão por vândalos, na madrugada de quarta-feira. Há cinco anos, Santo Expedido recebe os fiéis em frente ao templo de mesmo nome, mantido pela Igreja Católica Carismática, corrente independente da tradicional Igreja Católica Apostólica Romana. Até ser restaurada, a escultura, fixada à base com cimento, permanecerá com o braço danificado coberto.

De acordo com o padre Domingos Sávio, responsável pela igreja, alguns devotos já se prontificaram a pagar a restauração, que deve custar cerca de R$ 2 mil. Ele acredita que até o dia da festa, 19 de abril, a imagem do santo estará refeita. “Na novena de ontem (quarta-feira), quase 2 mil pessoas vieram ver a imagem, com muita tristeza. O trânsito chegou a ficar interrompido na avenida.

Muitos devotos choravam, como se um filho tivesse sofrido um acidente. O prejuízo material a gente cobre com a ajuda dos fiéis, mas a falta de respeito com os devotos é que nos entristece”, disse o religioso. “Mas não guardamos ressentimento. Espero que Deus abençoe quem fez isso”, completou.

A devota Meire Inês de Oliveira, de 43 anos, diz que sofreu ao ver a imagem jogada na calçada, com um braço despedaçado. Agraciada com uma benção do santo, que livrou um parente de um vício há nove anos, ela pede apenas que vândalos não voltem a desrespeitar os fiéis. “Tenho muita admiração e respeito por Santo Expedito. Tive muitos problemas e chorei bastante, mas ele me ajudou e ajuda até hoje. Acho difícil a polícia conseguir identificar essas pessoas. A justiça será só a de Deus mesmo”, acredita a fiel.

A benção alcançada pelo comerciante aposentado Francisco Nunes Moreira, de 69 anos, é um segredo guardado entre Santo Expedito e ele. Por duas vezes, em situações de trabalho e saúde, o fiel recorreu ao santo. “Ele nunca falhou comigo. Às vezes pode até atrasar, mas dou um desconto, porque muita gente recorre a ele. Por isso, ver a imagem dele no chão foi tão triste para quem tem fé. Sou tarimbado na vida, já vi muita coisa, mas essa foi uma atitude lamentável”, desabafou. Francisco chegou à igreja há sete anos, levado por uma funcionária. “Estava depressivo, não queria vir, mas ela me trouxe na marra. Só não posso contar meu pedido! É um trato nosso.”

A investigação da responsabilidade pelos atos de vandalismo contra a imagem de Santo Expedito ficará a cargo da 17ª Delegacia Distrital de Venda Nova. Somente ontem os policiais receberam a comunicação do crime pelo sistema da Polícia Civil, e ainda não deram início à apuração. O padre Domingos Sávio torce para que uma câmera instalada próximo ao chamado trevo do Bairro Guarani tenha flagrado a ação. A estátua em homenagem ao santo das causas justas e urgentes, colocada na entrada da paróquia, foi produzida por um artesão de Porto Alegre. Em 19 de abril, mais de 15 mil fiéis em caravanas de todo o estado devem passar pelo templo, que terá missas desde as 6h.

Para saber mais

A Arquidiocese de Belo Horizonte, que segue os ritos do Vaticano, não se pronunciou sobre o vandalismo contra a imagem na paróquia da Avenida Cristiano Machado, que pertence a uma corrente independente, denominada Igreja Católica Carismática. Mas a capital também tem um templo da tradicional Igreja Católica Apostólica Romana dedicado ao padroeiro das causas urgentes, a chamada Capela Curial Santo Expedito, no Bairro Álvaro Camargos, na Região Noroeste. O 19 de abril é festejado pelos católicos tradicionais também na Paróquia São Paulo Apóstolo, em Esmeraldas, na Grande BH, que tem Santo Expedito como protetor.


Publicidade