Publicidade

Estado de Minas Vida Integral

O amanhã não está à venda

"Não basta mudar o calendário. Não sabemos se estaremos vivos amanhã. Temos de parar de vender o amanhã"


30/08/2020 04:00

Um dos nossos maiores pensadores índigenas, Ailton Krenak, lançou, em abril, pela Companhia das Letras, o livro O amanhã não está à venda, com suas reflexões sobre a pandemia que parou o mundo. Há vários séculos que os povos indígenas do Brasil enfrentam bravamente ameaças que podem levá-los à aniquilação total e, diante de condições extremamente adversas, reinventam seu cotidiano e suas comunidades. Quando a pandemia da Covid-19 obriga o mundo a reconsiderar seu estilo de vida, o pensamento de Ailton Krenak emerge com lucidez e pertinência ainda mais impactantes. Se os leitores deste espaço buscam o equilíbrio, conhecer essa obra é uma boa opção.
 
Em páginas de muita força e beleza, o autor questiona a ideia de "volta à normalidade", uma "normalidade" em que a humanidade quer se divorciar da natureza, devastar o planeta e cavar um fosso gigantesco de desigualdade entre povos e sociedades. Depois da terrível experiência pela qual o mundo está passando, será preciso trabalhar para que haja mudanças profundas e significativas no  modo como vivemos. Desde o início da pandemia da COVID-19, a comunidade científica vem demonstrando a relação entre a destruição de sistemas ecológicos e o surgimento de doenças que ameaçam parte da humanidade.
 
Por crise, compreende-se a chegada a um estágio onde velhas práticas já não são capazes de solucionar novos problemas. Embora seja tratada costumeiramente como passageira, já que, ao longo da história, variadas crises foram superadas pela capacidade humana de adaptação, a chamada crise sanitária é mais grave, pois não se restringe ao novo coronavírus. Exige mudança radical para que novas pandemias não sejam experimentadas num futuro próximo. O modo com que nos relacionamos com o planeta nos tornou vítimas de pandemias. Se quisermos sobreviver, precisamos mudar.
 
Segundo o autor, o confinamento que mobiliza o mundo trouxe um novo paradigma para o horizonte: se antes eram os povos indígenas que corriam risco de ser extintos, hoje, o perigo ameaça todos. Mesmo que haja uma redistribuição desigual da vulnerabilidade, ninguém está a salvo. Até mesmo aqueles que fazem manifestação em seus carros importados pedindo a volta de seus empregados ao trabalho, se forem pegos pelo vírus podem morrer.
 
A mãe Terra nos cala em uma espécie de educação na marra. Não se trata de vingança, mas de autodefesa. A ameaça de precisarmos ser socorridos por máquinas respiratórias nos faz valorizar este equipamento biológico que nos permite respirar livremente. Aguardamos, desejosos, que a pandemia acabe e que possamos voltar à vida normal. Em seu livro, Krenak torce para que isso não aconteça, pois, se voltarmos à normalidade, é porque não valeu de nada a perda de centenas de milhares de pessoas em todo o planeta.
 
Contatos
 
Formação em ioga – A professora e mestre em ioga Maria José Marinho abre nova turma para o curso de formação de professores de ioga, a princípio presencial de acordo, com as normas no momento. O curso ensina o verdadeiro sentido e caminho desta técnica milenar e como conhecer e vivenciar seus diferentes métodos. É registrado e oficializado pela I.Y.T.A – Associação Internacional de Professores de Yoga e reconhecido pelo governo da Índia. São 11 meses e mais um mês de estágio. Além da hatha yoga, o aluno aprenderá técnicas de meditação, e especialização em ioga para criança, gestantes e ioga hormonal. Maria José tem como assistente a pedagoga e professora de ioga Salete Figueredo, e conta com equipe de professores altamente qualificados. Início das aulas em setembro, às quartas-feiras, das 14h às 17h, e aos sábados, das 8h às 11h, presencial e on-line. Informações e inscrições: WhatsApp (31) 99145-7178 ou pelo site www.pontoequilibrio.com.br.

Terapias holísticas e tarô – A terapeuta holística Renata Moon está atendendo on-line nos serviços de tarô terapêutico ou baralho cigano, envio de reiki, mandalas de cura (alinhamento energético com velas) e na consultoria em amamentação e doulagem pré-natal, parto e pós-parto. No tarô terapêutico, as cartas se tornam ferramentas de autoconhecimento e cura quando consultadas para visualizar questões que se tornaram obstáculos para alcançar seus objetivos ou para alcançar paz, harmonia e equilíbrio. A mandala de cura é feita através da energia do fogo. Por meio das velas e suas cores é possível formatar mandalas curativas para diversos fins emocionais, energéticos, mentais e físicos. Agendamentos e informações: WhatsApp (31) 98597-8885, @tarologarenatamoon ou pelo e-mail atendimentorenatamoon@gmail.com. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade