Publicidade

Estado de Minas MINAS TREND

Algodão, leveza e mais: confira as tendências para o inverno 2020

Semana de desfiles do Minas Trend parte de homenagem ao algodão para mostrar o potencial da indústria têxtil. Estilistas mostram as matérias-primas que vão ditar o inverno 2020


postado em 27/10/2019 19:30 / atualizado em 27/10/2019 19:32

Desfile de abertura(foto: Marcelo Soubhia/Fotosite)
Desfile de abertura (foto: Marcelo Soubhia/Fotosite)


Olhar além da roupa, enxergar o detalhe. A matéria-prima escolhida pelos estilistas ganhou destaque nos desfiles da 25ª edição do Minas Trend, encerrada na última sexta-feira. Além de formas, cores e texturas, o convite era conhecer mais sobre a indústria têxtil brasileira. “Precisamos vestir a nossa camisa, sermos mais brasileiros, tentarmos nos fortalecer”, aponta o designer Rogério Lima, novo diretor-criativo do maior evento de moda da América Latina.
 
O stylist Paulo Martinez voltou a deixar a sua assinatura criativa no desfile de abertura. Desta vez, o desafio era selecionar, entre as marcas participantes, roupas e acessórios para compor 60 looks. Intencionalmente, ele trabalhou apenas com branco (e algumas pitadas de cinza, prata e rosa). A ideia era fazer referência ao algodão, matéria-prima selecionada para representar o potencial do setor têxtil.
 
(foto: Marcelo Soubhia/Fotosite)
(foto: Marcelo Soubhia/Fotosite)
 
 
Os looks remetiam ao conforto e leveza da fibra natural. Tênis e rasteiras substituíram definitivamente o salto alto. Modelos desfilaram segurando as saias longas, sinal de que até na passarela o conforto fala mais alto. A leveza estava presente em franjas e modelagens fluidas. Tramas (de crochê e macramê), rendas de todos os tipos (como a renascença do Nordeste) e bordados (de rechilieu a pedraria) apontavam para o artesanal.
 
O desfile coletivo também falou sobre liberdade ao vestir homens e mulheres com a mesma roupa, de modelagens mais amplas, numa referência à moda sem gênero. Martinez também não deixou de fora o tema diversidade: levou para a passarela modelo plus size, modelo trans, homem de saia, mulher de calça e blazer, lenço para cobrir o rosto, turbante na cabeça.
 
(foto: Marcelo Soubhia/Fotosite)
(foto: Marcelo Soubhia/Fotosite)
 
 
O retorno da Anne est Folle à passarela marcou o segundo dia de desfiles. Na mistura de estampas, já característica da marca, destaque para desenhos medievais e tie dye feito com batata. Vestidos retos e estruturados se misturaram a modelos amplos e fluidos. Sempre disposta a valorizar o trabalho artesanal, a estilista Renata Manso apresentou casacos com generosa aplicação de franjas. Peças de cetim e algodão amassados criaram um efeito interessante no corpo.
 
Conhecida pelos vestidos de noiva, Lethicia Bronstein mostrou um lado mais casual em sua estreia no Minas Trend. Investiu em estampas (animal print é a sua preferida) para criar vestidos descomplicados. Macaquinhos podem ser usados como peça única ou combinados com saia. Sobre os tecidos, a estilista aponta o linho com elastano e o crepe de chine estampado.
 
(foto: Marcelo Soubhia/Fotosite)
(foto: Marcelo Soubhia/Fotosite)
 
 
No segundo dia, o desfile Trendbijoux by Sindijoias levantou a ideia de peça para vestir. Hector Albertazzi mostrou uma saia toda de metal banhado a ouro no formato de forminha de brigadeiro. Já Lázara Design criou três máscaras, entre elas uma de cristais coloridos. Já Carlos Penna vestiu as modelos com peças inspiradas em lustres, formadas por estrutura metálica e pendentes em acrílico e vidro.

TRÊS TEMPOS Denise Valadares comemorou quatro anos da marca misturando passado, presente e futuro. Moletons bordados remetiam ao passado, enquanto a alfaiataria (representada pelos blazers com mangas bufantes), babados e vestidos de tule em camadas apontavam para o presente. O desfile se conectava com o futuro através de propostas para um consumo mais consciente. A estilista trabalhou com o jeans que exige menos lavagem e apresentou duas calças do seu próprio guarda-roupa customizadas com bordados.
 
Lethicia Bronstein(foto: Marcelo Soubhia/Fotosite)
Lethicia Bronstein (foto: Marcelo Soubhia/Fotosite)
 
 
Branco, preto e cinza dominaram o desfile de Victor Dzenk, que criou uma coleção mais dia e menos noite. O colorido veio de uma estampa desenvolvida em parceria Célio Olímpio. Através do fogo, o artista funde pigmentos de ouro e prata em superfícies de vidro para chegar a tons inimagináveis (neste caso, azul). A grande novidade da marca é o seu monograma, bem gráfico, que tem tudo para perpetuar. Flertando com a moda esportiva, o estilista aposta no náilon de poliamida com acabamento encerado.
 
Anne est Folle(foto: Marcelo Soubhia/Fotosite)
Anne est Folle (foto: Marcelo Soubhia/Fotosite)
 
 
A Ilha do Ferro inspirou as 11 marcas que participaram do desfile do Coletivo Alagoas. Única representante plus size no line up, a Maneka investiu em peças pintadas à mão, como a saia longa rosa cheia de bonecos, que representam personagens imaginários do povoado. Já as kaftans com franjas de Sandra Cavalcante ganharam detalhes de bordados “boa noite”, técnica criada por mulheres da ilha.
 
Trendbijoux by Sindijoias(foto: Marcelo Soubhia/Fotosite)
Trendbijoux by Sindijoias (foto: Marcelo Soubhia/Fotosite)
 
 
 
 
Denise Valadares(foto: Marcelo Soubhia/Fotosite)
Denise Valadares (foto: Marcelo Soubhia/Fotosite)
 
 
 
Victor Dzenk(foto: Marcelo Soubhia/Fotosite)
Victor Dzenk (foto: Marcelo Soubhia/Fotosite)
 
 
 
Coletivo Alagoas(foto: Marcelo Soubhia/Fotosite)
Coletivo Alagoas (foto: Marcelo Soubhia/Fotosite)
 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade