Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Pertinho das montanhas


postado em 09/06/2019 04:12

 Na sala de jantar, a mesa com tampo em madeira é acompanhada por cadeiras revestidas em couro e lustre de cristal. O aparador em mármore travertino, encaixado em parede espelhada, também carrega objetos em cristais,(foto: GUSTAVO XAVIER/divulgação)
Na sala de jantar, a mesa com tampo em madeira é acompanhada por cadeiras revestidas em couro e lustre de cristal. O aparador em mármore travertino, encaixado em parede espelhada, também carrega objetos em cristais, (foto: GUSTAVO XAVIER/divulgação)



A cultura do mineiro se moldou ao relevo desafiador das montanhas, que se tornaram cartão postal da nossa terra. Estar perto delas, usufruir do mar ondulante de morros e dos vales esverdeados que o entremeiam, é uma opção de quem ama a natureza e, ao mesmo tempo, quer usufruir de sossego e privacidade.


Como o casal que mora na residência apresentada nesta edição da Casa Mineira, localizada no Vale dos Cristais, um condomínio de luxo no município de Nova Lima, região metropolitana de Belo Horizonte. O projeto é de Rômulo Hermeto, arquiteto mineiro conhecido por imprimir uma identidade especial aos seus projetos, mesclando características coloniais, como o uso da madeira, pedras, o jogo dos telhados, à plasticidade de elementos contemporâneos como vidro e mármore.
Convidada para assumir a decoração do imóvel, a designer Laís Albergaria se apropriou do que os espaços internos pediam, criando ambientes quentes a partir da utilização da madeira como revestimento, particularmente nas paredes, o que proporcionou unidade entre interior e exterior. Espelhos também foram recurso usado no living e sala de jantar como contraponto à madeira e com a finalidade de iluminá-la.


Cores e texturas contribuem para essa integração formando um conjunto agradável e aconchegante. Neste raciocínio, a decoradora lançou mão de tapetes orientais para cobrir superfícies em mármore e deu prioridade a sofás e poltronas confortáveis para reforçar clima intimista. A reforma incluiu a criação de uma copa separada da cozinha, assim como a abertura do hall social que dá acesso ao escritório, quarto de hóspedes e elevador. Laís criou ainda, nesse hall, uma louçaria.


Uma demanda dos proprietários era que uma pequena parte dos móveis e objetos da família fossem aproveitados e o desafio da profissional foi imprimir uma nova leitura a esse acervo dentro das novas dimensões espaciais da casa, que tem 900 metros quadrados, divididos em dois pavimentos. No de baixo, fica a área social, com living amplo composto por duas conversações – na primeira, Laís Albergaria encontrou espaço especial para o piano e criou uma lareira ecológica em mármore travertino, que contrasta com parede em madeira ao fundo, para aquecer as noites frias do Vale dos Cristais. Tela de Roberto Vieira, de 1988, e uma escultura de Ricardo Carvão Levy sobre ela arrematam.


Na segunda, predominam quatro namoradeiras em círculo e mesa central com tampo espelhado. Em seguida, vem a sala de jantar, cuja mesa também tem tampo em madeira, acompanhada por cadeiras revestidas em couro. O aparador, no mesmo mármore da lareira, carrega objetos em cristal, e foi anexado a uma parede espelhada.


Além do quarto de hóspedes, o andar térreo conta com o escritório com vista para a paisagem exterior, e um loft, aproveitamento de uma área perdida de 150 metros quadrados, debaixo da piscina e do deck. Ele é composto por sala de estar com TV, mesa jogos, inclusive de bilhar, e uma enorme estante estilo cobogó formada por módulos em madeira, que ocupa uma área de 7 metros. Aí está também o dormitório do pai da dona casa e o estúdio onde ele, músico, se exercita. Chama a atenção nesse loft o uso da madeira ripada tanto nas paredes quanto no teto.

Para dormir Os outros quatro dormitórios ficam no segundo pavimento. Cada um foi concebido de acordo com a personalidade dos seus ocupantes – o decorado para o casal é bem clássico e nele sobressaem papel de parede com motivos em cinza e lustre duplo de cristal em cascata. Além do mobiliário tradicional, ele ganhou uma área de conversação. O ambiente é separado por uma divisória de vidro com película que, por meio de um projetor, permite que se assista a TV dos dois lados.


No quarto do filho adolescente, os tons de cinza predominam. Outro é mais arrojado, a cama vem no estilo tatame. Já no dormitório das duas filhas, o cinza, presente na cabeceira em linho das camas, joga com o salmão, que pode ser visto também nas mantas, na barra da cortina, e na laca brilho, que reveste o mobiliário criado para estudo e as estantes superiores. A leveza é acentuada pelas cadeiras Ghost.


A varanda gourmet revela a preciosidade da estrutura do telhado do projeto arquitetônico de Rômulo Hermeto, com destaque para as luminárias arrojadas escolhidas por Laís Albergaria. Abaixo, está a grande mesa em madeira de demolição com base em metal e aço corten complementadas por cadeiras Neo, modelo que se encontra também na conversação contígua juntamente com os sofás com estrutura em corda náutica. É daí que melhor se contempla a vista privilegiada.

 

 

 


Publicidade