Publicidade

Estado de Minas MUNDO AVE

Papagaios e maritacas são semelhantes, mas não são da mesma espécie

Muita gente confunde, mas cada uma das aves tem as suas particularidades


postado em 10/10/2015 06:00 / atualizado em 08/10/2015 11:33

Maritaca-maracanã vive em média de 20 a 30 anos em cativeiro(foto: Roseli Ortigoso)
Maritaca-maracanã vive em média de 20 a 30 anos em cativeiro (foto: Roseli Ortigoso)

Elas pertencem à mesma família, têm penas com cores vibrantes e chamam a atenção de todos, principalmente das crianças. As semelhanças entre maritacas e papagaios são muitas, mas eles não são tão iguais. As duas aves são de espécies diferentes, e cada uma tem as suas particularidades. “Como são da mesma família, o normal é as pessoas fazerem a distinção entre papagaios, maritacas e periquitos pelo tamanho, mas essa é apenas uma das características a serem avaliadas”, esclarece o veterinário Geraldo Sávio, da Dog City.

Os papagaios são sociáveis, comunicativos e inteligentes, o que os torna bem populares entre as aves de estimação. Segundo Geraldo, eles medem de 34cm a 40cm e pesam entre 300g e 800g, sendo bem maiores do que as maritacas. Além do corpo robusto e compacto, as unhas são muito afiadas, e a cauda e as penas das asas, curtas. A cor predominante é o verde, e o bico é redondo, curvado e normalmente escuro. São muito resistentes: podem viver de 50 a 80 anos.

A característica mais marcante é a capacidade de repetir palavras. “O papagaio não tem corda vocal, mas tem uma membrana chamada siringe, que permite a reprodução de vários sons. São excelentes imitadores, mas não sabem o significado do que dizem.”
Papagaio domesticado é excelente imitador, mas não sabe o significado das palavras(foto: Papagaio domesticado/Reprodução da internet)
Papagaio domesticado é excelente imitador, mas não sabe o significado das palavras (foto: Papagaio domesticado/Reprodução da internet)

As maritacas variam entre 24cm e 30cm e pesam entre 80g e 200g. A cor predominante também é o verde, e algumas têm a base das asas vermelha ou azul. De acordo com Geraldo, elas vivem em média de 20 a 30 anos em cativeiro. Na natureza, vivem menos por enfrentar condições climáticas mais intensas. Divididas em várias espécies, também são da família dos periquitos. Elas não imitam como o papagaio, mas emitem um som bem alto, que pode ser reconhecido de longe. Vivem em bandos e fazem muito barulho, principalmente quando estão voando.

Ambas são aves selvagens e não podem mais ser domesticadas, apenas se adquiridas em cativeiros legalizados pelo Ibama. “As gerações mais antigas foram acostumadas a retirar essas aves da natureza e fazer delas animais de estimação. Com a urbanização e extinção de algumas espécies, esse costume foi revisto e foram criadas várias leis para proteger a fauna e a flora brasileira. Hoje, é crime criar aves retiradas da natureza sem critério e prévia autorização dos órgãos governamentais”, alerta.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade