Publicidade

Estado de Minas

Velório de Alencar no Planalto se estenderá por toda a noite


postado em 29/03/2011 18:56 / atualizado em 29/03/2011 18:59

O velório do ex-vice-presidente José Alencar, que terá início nesta quarta, no Palácio do Planalto, só terminará na manhã de quinta-feira, quando o corpo deixará Brasília, para ser levado a Belo Horizonte. Durante toda a noite, o velório será aberto à visitação pública. O ex-vice-presidente José Alencar morreu nesta terça-feira, aos 79 anos, vítima de câncer, em São Paulo. De acordo com o Palácio do Planalto, a previsão é que o corpo saia de São Paulo amanhã, às 7h, em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) e chegue à Base Aérea de Brasília às 9h15. Já na Base Aérea, haverá uma cerimônia de honras militares com a presença do presidente em exercício, Michel Temer, e dos presidentes do Supremo Tribunal Federal (STF), Cezar Peluso, da Câmara dos Deputados, Marco Maia, e do Senado, José Sarney.

Depois da cerimônia, o corpo será levado por um caminhão do Corpo de Bombeiros até o Palácio do Planalto, em cortejo fúnebre que passará pelo Eixão e depois pelo Eixo Monumental, ganhando a Praça dos Três Poderes. Ao chegar ao Planalto, o caixão será conduzido pelos Dragões da Independência pela rampa até o Salão Nobre, que fica no primeiro andar do palácio. A visitação pública deve começar às 10h. A segurança do planalto organizará fila para que as pessoas possam subir a rampa e circundar o caixão do ex-vice-presidente. Haverá ainda um local reservado para autoridades e parentes de Alencar. O Planalto também estima a chegada da presidenta Dilma Rousseff para o início da noite. Ela deverá retornar de sua viagem a Portugal junto com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Todos os ministros de Estado cancelaram os compromissos previstos para amanhã, diante da convocação de todos para as 9h, feita pela presidenta Dilma, ao saber da notícia da morte de Alencar. Nesta terça-feira, o presidente em exercício, Michel Temer, disse que nada mais justo prestar honras de chefe de Estado a Alencar, já que ele exerceu o cargo de presidente da República durante praticamente um ano, nas ocasiões em que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva estava em viagem. Temer ressaltou que Alencar foi um exemplo de luta para os brasileiros e lembrou que, mesmo em momentos de maior sofrimento, durante o tratamento de câncer, transmitia "otimismo permanente" e "fé inquebrantável". "A quem o procurava para oferecer conforto pela dura provação pela qual passava, retribuia com alegria, bom humor e desassombro", diz a nota, divulgada há pouco. O presidente em exercício também decretou luto oficial de sete dias e, pouco depois da divulgação da notícia da morte, a bandeira do Palácio do Planalto foi hasteada a meio-mastro. "Lamento profundamente a morte deste mineiro que não conhecia fronteiras e acreditou sempre no Brasil. Transmito, em meu nome e em nome da presidenta Dilma Rousseff, nossa solidariedade à família e aos amigos nesta hora triste", diz a nota de Temer, em exercício na Presidência da República por causa da viagem de Dilma a Portugal. Temer também lembrou na nota que José Alencar teve carreira de sucesso como homem público e como empresário do setor de tecidos e confecções e foi um líder entre os empresários.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade