Publicidade

Estado de Minas

Enem: identidade e horário de verão são vilões dos atrasados no primeiro dia

Na Avenida Antônio Carlos, sentindo Centro, o tráfego estava intenso na entrada da universidade; em direção à PUC, a Via Expressa e a Avenida Amazonas apresentaram fluxo tranquilo; dois alunos se atrasaram nos dois campus


postado em 04/11/2018 11:25 / atualizado em 04/11/2018 16:26

Ver galeria . 42 Fotos Edesio Ferreira/EM/D.A press e Juarez Rodrigues/EM/D.A press
(foto: Edesio Ferreira/EM/D.A press e Juarez Rodrigues/EM/D.A press )

 

Candidatos a vagas nas universidades brasileiras já iniciaram o primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Nos campus Pampulha, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e Coração Eucarístico, da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/MG), apenas duas pessoas se atrasaram. Somente na Federal houve complicações no trânsito, principalmente na avenida Antônio Carlos. 

 

"Eu esqueci minha identidade em casa. Agora vou ter que deixar para o ano que vem, pois não posso fazer a prova no segundo dia. Vou tentar chegar mais cedo ano que vem. Eu ia trazer minha mochila toda, mas acabei trazendo só o dinheiro. Nisso, esqueci o documento", contou a estudante Karolaine Jéssica, de 19 anos, que tentava prestar o Enem pela primeira vez. Ela foi a única atrasada que faria prova na UFMG. 

 

Na PUC, o horário de verão foi o vilão. Uma aluna chegou à instituição por volta das 13h10. Ela não quis conversar com a reportagem. 

 

Trânsito

 

Na chegada ao campus da UFMG, o trânsito na Avenida Antônio Carlos e na Avenida Carlos Luz, no sentindo bairro, fluiu normalmente. Já no sentido Centro da Antônio Carlos, o tráfego ficou intenso na entrada da universidade. A retenção se tornou grande e os motoristas precisaram de paciência.

 

Problema também com um sinal do cruzamento da Avenida Abrãao Caram com Avenida Antônio Carlos, que está desligado. Não houve agentes da BHTrans nem da Guarda Municipal para organizar o trânsito no trecho. Muitos estudantes desceram do carro e seguiram a pé para não se atrasarem.

 

Ana Luiza Coelho, de 18 anos, presta o Enem pela segunda vez para o curso de Ciências Biológicas. "Meu pai me trouxe e o trânsito está bem engarrafado em direção à UFMG". Também disse que quase se atrasou pela mudança do horário de verão, mas foi acordada pela mãe.

 

Na Avenida Amazonas, em direção à PUC, o trânsito se apresentou tranquilo. Mesmo cenário evidenciado na Via Expressa. Em outros locais, como Colégio Estadual Central, no Bairro Santo Agostinho, na Região Centro-Sul, houve fila na porta.

 

Teve até abraço grátis no portão da PUC, para dar uma força aos estudantes. Com placas, um grupo de jovens católicos recebeu os candidatos ao Enem, e aquele que queria, foi acolhido de forma carinhosa. "O pessoal chega mais tenso, então damos um abraço", explicou Wanderson da Silva Alves.

 

A estudante de jornalismo Cynthia Medlen está fazendo o Enem pela quarta vez, pois tenta o ProUni, de forma a se livrar das mensalidades na faculdade particular. "Eu sou confiante e quero também receber o abraço gratuito', disse a jovem de 22 anos.

 

Com o objetivo de estudar psicologia, Gabriel Henrique Rocha, de 18, também estava esperançoso. "Estou confiando em mim mesmo", afirmou.

 

No entorno da PUC, houve ambulantes vendendo água, fazendo propaganda de pré-vestibular e, principalmente, comercializando canetas. Com as mãos na boca, para amplificar a voz, um homem gritava a plenos pulmões: "última chance. Caneta a R$ 1"

 

As provas aplicadas neste domingo serão: Redação linguagens, Código e suas Tecnologias, Ciências Humanas e suas Tecnologias. Os estudantes terão cinco horas e meia para fazer a prova.

 

Não perca, neste domingo gabarito extraoficial das provas do Enem 2018, parceria Chromos/Portal Uai.

 

Redação

 

Edésio Ferreira/EM/D.A Press(foto: A tia Thaís levou a sobrinha Victória Freitas até à UFMG para fazer as provas do Enem)
Edésio Ferreira/EM/D.A Press (foto: A tia Thaís levou a sobrinha Victória Freitas até à UFMG para fazer as provas do Enem)

 

Alunos também tentam adivinhar qual será o tema da redação deste ano. Para Maíra da Silva Brito, 18, o tema deve ser imigração. Ao lado da tia Thaís Freitas (40), Victória Freitas (18) também opina. "Eu aposto que a redação não sai de três temas: pedofilia na internet, fake news e preconceito linguístico", contou a mais jovem.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade