Publicidade

Estado de Minas

Professor aplica prova pela janela para aluno atrasado em BH; veja vídeo

Caso ocorreu em uma escola estadual na Região de Venda Nova e vídeo se espalhou pelas redes sociais. 'Gosto de oportunizar, acredito na educação', explicou professor


postado em 23/05/2018 10:13 / atualizado em 23/05/2018 16:53


Uma avaliação escolar aplicada de forma inusitada se espalhou pelas redes sociais nos últimos dias em Belo Horizonte. O vídeo mostra um professor aplicando uma prova oral de inglês para um aluno, mas o jovem estava do lado de fora da sala porque chegou atrasado. Assim, o docente gritava as questões pela janela, e o adolescente respondia. 

Ao final, ele pede o nome completo do aluno, enquanto os outros adolescentes comemoram pelo colega ter conseguido os pontos.


Publicado no perfil do professor Hudson Fernandes no Facebook, até o início da manhã desta quarta-feira o vídeo tinha 743 curtidas e 95 compartilhamentos. “Quando eu falo, que são poucos que faz (sic) jus a sua profissão, que realmente faz por amor não por status! Esse faz parte da minoria!”, comentou uma usuária da rede social na publicação. “Parabéns. Tem uma ótima profissão e humanismo prevalece nela é uma pena que nossos mestres não tem o devido valor que merecem e necessitam quase que implorar para receber oq (sic) lhes e de direito”, comentou outro perfil. 

“Fiquei muito assustado porque eu não esperava essa repercussão toda. Uma aluna postou e eu acabei compartilhando”, disse o professor ao em.com.br nesta manhã. Ele é docente há 10 anos e há três trabalha na Escola Estadual Santos Dumont. Segundo ele, o turno da noite da instituição atende alunos do 3º ano do ensino médio e a maioria trabalha como jovem aprendiz nos demais períodos do dia. A instituição é rigorosa com os horários. Por ter chegado atrasado, o estudante que aparece no vídeo conseguiu acessar o pátio, mas não teve a entrada permitida na sala de aula. 

Aluno acompanhava a aplicação do teste do lado de fora e professor resolveu ajudar(foto: Reprodução da internet/Facebook)
Aluno acompanhava a aplicação do teste do lado de fora e professor resolveu ajudar (foto: Reprodução da internet/Facebook)


“Aquela sala é a sala dele, ele estava do lado de fora e olhando para a aplicação daquele teste. Perguntei por que ele não entrou, falou que chegou atrasado. Apliquei para ele da janela. Ele tirou total, acertou as frases todas”, explicou o Hudson Fernandes. “São 10 frases. Além dos textos que eu trabalho são falas do dia a dia. Eu as cobro oralmente dos alunos”, detalhou. Segundo ele, aquele era o último dia em que a prova poderia ser aplicada. 

Além do Santos Dumont, o professor ainda dá aulas em outra escola na Grande BH e comentou à reportagem que seu primeiro emprego, ainda adolescente, foi como office boy do Estado de Minas, onde recebeu incentivo de colegas para estudar. Hoje, ele também busca auxiliar os alunos nesse sentido, porém, após a repercussão do vídeo, ele soube que também desagradou algumas pessoas.  “A minha intenção naquele momento foi oportunizar. Até teve gente na escola falando que podia aplicar recuperação. Mas, já que a turma estava envolvida e ele estava acompanhando, foi uma ação espontânea. Não pensei que podia gerar isso. Gosto de oportunizar, acredito na educação, gosto muito dos meus alunos”, disse. 

Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Educação esclareceu que qualquer professor tem autonomia para repetir uma avaliação, não sendo necessária a “abordagem promovida pelo professor mostrada no vídeo”. Leia na íntegra:    

"A Secretaria de Estado de Educação informa que a direção da Escola Estadual Santos Dumont, em Belo Horizonte, se reuniu na última terça-feira (22/05) com o professor Hudson Fernandes e a inspetora escolar da unidade para conversarem sobre esse episódio ocorrido na escola e a conduta inadequada adotada pelo servidor. A direção esclareceu que, de acordo com o regimento escolar da unidade, que já é de conhecimento de todos os funcionários e estudantes, após o início da aula, o aluno que chega atrasado deve aguardar o próximo horário para entrar na sala de aula, de forma a manter a organização da escola e não tumultuar o início das atividades escolares. A inspetora salientou ainda que qualquer professor tem autonomia para repetir uma atividade avaliativa, em um momento adequado e acertado entre as partes, para um aluno que porventura tenha perdido sua aplicação, não sendo necessária a realização do tipo de abordagem promovida pelo professor mostrada no vídeo."

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade