Publicidade

Estado de Minas

EM traz atividade de revisão para as provas do domingo do Enem 2017

Com apoio de especialistas, EM traz revisão para as provas de domingo. Confira as questões e dicas para a preparação final


postado em 31/10/2017 06:00 / atualizado em 31/10/2017 12:31

Daniel Farage de Carvalho dedica os últimos dias a exercícios e revisões(foto: Jair Amaral/EM/DA Press)
Daniel Farage de Carvalho dedica os últimos dias a exercícios e revisões (foto: Jair Amaral/EM/DA Press)
Faltando cinco dias para o início de um dos testes mais disputados do país, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o Estado de Minas preparou um exercício de revisão para quem vai fazer a avaliação de domingo testar seus conhecimentos e habilidades. Para isso, convidou a elaborar questões colégios que estiveram nas primeiras posições do último ranking por escolas, no ano passado, tradicionais instituições de ensino da capital e uma experiente professora de língua portuguesa. Hoje, estão publicadas aquelas referentes às áreas que serão cobradas no primeiro dia de provas.


São 10 questões objetivas de ciências humanas e linguagens. O Coleguium, de BH, quarto lugar em Minas entre as escolas com o melhor desempenho no exame nacional na lista divulgada em 2016, é responsável pela primeira área. A professora Leila Maria Rodrigues, com 30 anos de magistério, e o Colégio Marista Dom Silvério, na Região Centro-Sul da capital, também destaque entre os melhores do Enem, formularam as questões de linguagens. As respostas são comentadas.


O Enem será aplicado pela primeira vez em dois domingos consecutivos – até o ano passado, o teste ocorria em um único fim de semana, com provas no sábado e no domingo. Agora, no próximo dia 5  os participantes farão, durante cinco horas e meia, as provas de redação, linguagens e ciências humanas. No dia 12, durante quatro horas e meia, será a vez dos testes de matemática e ciências da natureza. A edição deste ano teve 7.603.290 inscritos, superando a expectativa do Ministério da Educação, de 7,5 milhões de inscrições. Do total, 660.797 são de Minas.


Nas ciências humanas, a prova do Enem exige historicamente do aluno uma reflexão de temas e conceitos que envolvem o entendimento de processos históricos, geográficos e sociais, que são mutáveis, segundo o coordenador do ensino médio e do ensino fundamental II da unidade Carlos Prates do Coleguium, Judson Lima Bernardino. “Dessa forma, o candidato deverá ter uma visão reflexiva de certos conceitos-chave, como democracia, cidadania, direitos humanos, crises econômicas, problemas ambientais, relações de trabalho e cultura. Uma atenção especial deve ser dada aos temas relativos ao Brasil, bem como as contradições geradas pelo modelo de desenvolvimento adotado na contemporaneidade.”




EQUILÍBRIO O conselho da professora Leila Rodrigues vale para qualquer uma das provas: “Se ficar nervoso, faça exercícios de respiração. Feche os olhos e respire fundo, soltando o ar bem devagar. Lembre-se do motivo pelo qual você está ali e tente retomar o equilíbrio”. Segundo ela, é fundamental não perder tempo escolhendo questões para resolver. O recomendado é seguir a sequência e marcar aquelas nas quais se tem dúvida para fazer depois. “Assim, o aluno não corre o risco de terminar o tempo e precisar chutar várias questões sem nem ler o enunciado”, diz. “Se sobrarem questões em branco no fim da prova, faça um chute consciente. São cinco opções, 20% de chance de acerto. Se fizer por eliminação, suas chances de acerto aumentam.”


Segundo a professora, importante também é não deixar para passar todas as questões para o gabarito no fim. “São muitas, e o participante pode se confundir e, se demorar muito para notar o erro, acaba preenchendo muitas lacunas incorretas. Passe para o gabarito as que você já tiver certeza de que sabe a resposta, logo depois de responder à questão”, aconselha.

Fazer uma boa leitura da questão pode ajudar a encontrar a resposta no próprio enunciado. No mais, diz Leila, é aproveitar bem o tempo de prova. “Não há mal algum em ficar entre os últimos a sair. Só tome cuidado para não faltar tempo. Se acabar a prova e tiver um tempinho, é bom fazer uma breve revisão antes de passar as questões para o gabarito.”


Aluno do 3º ano do colégio Unimaster, no Bairro Buritis, Região Oeste de BH, Daniel Vilela Farage de Carvalho, de 17 anos, vai encarar o Enem de olho em uma vaga de direito. O primeiro dia do exame engloba o que ele considera suas áreas fortes. Nesta reta final, o estudante se dedica a revisar conteúdos, reler resumos feitos ao longo do ano e fazer exercícios, rotina que pretende manter até sexta-feira. No sábado, vai assistir a um aulão on-line. Daniel fez as duas edições prévias como treineiro e acredita que a avaliação manterá as linhas anteriores. “É uma prova que cansam muito. O ideal é fazer as matérias em que se sente mais confortável. Por isso, no primeiro dia  começo por humanas. E as questões mais difíceis eu pulo. O importante é, acima de tudo, ter tranquilidade”, afirma.


Para o professor de língua portuguesa Carlos Hebert Andrade, do Colégio Marista Dom Silvério, a prova não tem mistérios para quem teve boa formação ao longo da vida escolar: “O candidato que teve o hábito da leitura e um certo domínio das regras gramaticais aplicadas ao texto conseguirá, de forma mais segura, interpretar e analisar as questões das quatro áreas do Enem”.


Na próxima terça-feira, o EM traz uma revisão para as provas do dia 12, das áreas de matemática e ciências da natureza.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade